sexta-feira, 8 de junho de 2012

PEQUENOS VASCAÍNOS 2010: BANDEIRÃO QUANDO A METADE JÁ DIZ TUDO.

Guardada a 7 chaves em uma Sala do Estádio de São Januário, uma preciosidade sai de lá apenas em ocasiões especiais. 
Tal cuidado passa a fazer todo o sentido, quando se toma conhecimento do trabalho que deu fazer o Bandeirão da Pequenos Vascaínos. 
Bastaria dizer que tem 100 metros de comprimento e 41 de altura, mas os números são ainda mais impressionantes, foram usados, 30 mil metros de linha e dez galões de tinta. 
O peso? São 400 quilos que só podem ser carregados por, pelo menos, 25 pessoas. 
Nada, porém que seja visto com espanto pela tradicional Torcida. 
“Era para o Bandeirão ser ainda mais alto, para ir além da grade da arquibancada. Mas pela estrutura do Maracanã, chegamos a medida atual, que é a metade da que pretendíamos”, resigna-se Wagner Pedro, responsável pelo marketing da Pequenos Vascaínos. 
“Pelo menos, assim não existe o risco de alguém que esta na parte inferior do Estádio puxar o pano”. 
Cercada de expectativa, a primeira aparição oficial ao público, aconteceu durante a vitória por 1 X 0 sobre o Tigres, na estréia do Vasco no Campeonato Estadual deste ano. 
Bem antes disso, não foram poucas as vezes em que vídeos mostrando a confecção eram lançados na Internet. 
As imagens logo despertaram curiosidade e ganharam o mundo. 
Um dos teasers (técnica de marketing para chamar a atenção) exibia uma quantidade incrível de tecido branco brilhante, abrindo caminho para a imaginação. 
Também produziu grande efeito a cena das estrelas amarelas sendo  pintadas, pra representar alguns dos Títulos mais importantes do Clube. 
Todo o projeto no entanto durou muito mais do que os 30 dias dedicados exclusivamente aos panos e as tintas. 
Mais uma vez a Internet foi usada em um processo democrático, chegou-se a conclusão de que nenhuma alusão seria feita a Pequenos Vascaínos. 
“ O objetivo era mostrar o amor pelo Clube, por isso optamos pela frase “Paixão, Teu Nome é Vasco”. 
É um sentimento que se propaga naturalmente e que, na maioria das vezes leva a ações incompreendidas. 
A construção desse símbolo também serve para demostrar como diversas pessoas podem trabalhar juntas por um ideal. “Não importa a idade, sexo ou religião, o amor é um só”, ressalta Wagner. 
A escolha do desenho talvez tenha sido a parte mais fácil de todo o trabalho. 
“Começamos com traços simples, que foram se aperfeiçoando até se chegar as formas que vemos agora”, revela. 
Fonte Revista do Vasco Outubro de 2010

Pequenos Vascaínos Revista do Vasco Outubro de 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário