sexta-feira, 31 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM 1977: HOMENAGENS DA IMPÉRIO SERRANO

Comunicamos a todos os integrantes da Força Jovem que no dia 27 de Setembro de 1977, sábado próximo vindouro, a Escola de Samba Império Serrano, prestará uma homenagem ao Clube de Regatas Vasco da Gama, e todos que quiserem prestigiar esta grandiosa festa poderão comparecer sendo o ingresso franquiado com a carteira de sócio da Torcida Força Jovem tem dias ou a camisa da Torcida Força Jovem.
Ely Mendes, Presidente.
Fonte: Jornal dos Sports 06 de Setembro de 1977

Foiça Jovem Jornal dos Sports 1977

Foiça Jovem Jornal dos Sports Campos 1977


terça-feira, 28 de agosto de 2018

TOV 1958: BATUCADA DO MARACANÃ A SÃO JANUÁRIO

D. Dulce Rosalina, Chefe da Torcida Cruzmaltina, confia tanto na vitória do Vasco, logo mais, que espera que o último apito do juiz, encerrando o jogo, valha como sinal de sentido para o início da batucada que, segundo ela espera, “comerá feio” desde o Maracanã até São Januário.
Fonte: O Jornal 07 de Dezembro de 1958

TOV O Jornal 1958

TOV Revista do Esporte 1958

domingo, 26 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM 1996: VENHA PARA A 8ª FAMÍLIA BAIXADA

Veja se o seu bairro faz parte da nossa imensa Família e venha participar de nossas reuniões.
Nova Iguaçu, Mesquita, Belford Roxo e adjacências.
Reuniões em Mesquita: toda as 5ª feiras, 20.00 hs no endereço, Av. São Paulo, 1003 (Associação de Moradores da Cascata).
OBS: Qualquer dúvida, procurar: Stive, nas reuniões ou em dias de jogos.
“Se eu lutar, siga-me
Se eu morrer, vingue-me,
Se fugir, mate-me.”
Seja mais um membro da nossa Família.
Entre para a Força Jovem.
Força Jovem do Vasco, 8ª Família, Bonde do Stive.
Vasco por amor, Força Jovem por ideal.

Força Jovem 8ª Família 1996

Força Jovem 8ª Família 

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

FEMININA CAMISA 12 1975: FESTA UMA NOITE NO BATACLÃ

Iara Barros, Chefe da Torcida Feminina Camisa 12, do Vasco da Gama, oferece hoje um Festa de Confraternização denominada Uma Noite no Bataclã. Iara que será a Maria Machadão pede aos convidados para comparecerem vestidos como na Novela (Gabriela da Rede Globo). 
Estão convidadas as Torcidas Organizadas, Vascaxias, Vasco Real, Vascachaça, Exorci-Vasco, Alfivasco, Saravasco, Força Jovem, Vascarepaguá. 
A curtição começa as 22h, com muita menininha, chopp e música, na Rua André Azevedo 87, Bloco 46, apto 104, IAPC de Olaria.
Fonte: Jornal dos Sports 06 de Dezembro de 1975.

Feminina Camisa 12 Jornal dos Sports 1975

Feminina Camisa 12  1977

Feminina Camisa 12  1977




segunda-feira, 20 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM E TOV 1973: E O SONHO DO VASCO ACABOU. SÓ RESTAM ECOS

Bem cedinho eles chegaram ao Estádio, com suas bandeiras e fanfarras. 
Depois do gol foi o silêncio.
Tudo preparado, com antecedência, uma verdadeira festa.
Ely Mendes, Chefe da Força Jovem do Vasco, não mediu esforços para mostrar que o Clube possui uma das maiores Torcidas do Rio. 
Chegou cedo ao Estádio Mário Filho e junto com outros componentes da Torcida, começou a preparar o papel picado, as faixas, 50 caixas de serpentina e uma bandeira de 50 metros de comprimentos por 30 metros de largura.
Do outro lado, Dulce Rosalina Chefe da Charanga (TOV), também dava andamento aos preparativos que começaram no início da semana. Muito confiante, quase com a certeza que o Vasco seria campeão, trabalhava sem parar, dando sempre instruções a outros componentes da Charanga, que ajudavam. Estava tudo pronto, faltava apenas o Vasco conquistar o título.
- Quando acabar o jogo todo mundo já em São Januário para comemorar a nossa vitória, dizia Dulce Rosalina.
As faixas foram penduradas na arquibancada, dois ao lado, o papel picado distribuídos entre os torcedores, as peças da bateria estavam tininda. Uma banda de 30 componentes contratada pela Força Jovem, entoava o hino do Clube.
Era o começo da comemoração, segundo os dois Chefes da Torcida.
O time entrou em campo quando a Charanga (TOV) e a Força Jovem, passaram definitivamente a ação. Tudo corria bem e ninguém admitia uma derrota, nem mesmo um empate.
Previam mesmo que o Vasco venceria com tranqüilidade.
O jogo começou. O silêncio invadiu a Torcida, que em alguns momentos ainda tentou incentivar o time. Todos estavam quietos, esperando o momento de gritar novamente. Uma boa jogada da defesa de Renê foi o suficiente para que a Torcida acordasse e, aos gritos, voltasse a vibração.
Tudo estava certo, os dois times jogavam iguais. Mas, veio o gol do Flamengo, trazendo o desânimo total, com alguns torcedores criticando inclusive a defesa, achando que ela falhou na jogada. Mas ainda faltava muito tempo e o Vasco poderia reagir, chegando inclusive a uma vitória. Mas Dulce Rosalina e Ely Mendes Correia não admitiam mesmo a derrota.
A festa foi preparada com todo carinho, tudo planejado perfeitamente, mas o adversário estragou as previsões de Dulce Rosalina e Ely Mendes, era amarga hora da derrota. Agora só resta aos dois Chefes da Torcida uma nova decisão do Vasco para podermos preparar outra festa com a mesma perfeição. Mas ontem a música silenciou em São Januário.
Fonte: Jornal dos Sports 07 de Maio de 1973

Força Jovem e TOV Jornal dos Sports 1973

Força Jovem Maracanã 1973

Força Jovem Maracanã 1973



sábado, 18 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM 1978: RAINHA DA TORCIDA MAGDA MARIA

Magda Maria Gouveia Monteiro é a linda morena que representará a Força Jovem no Concurso de Rainha das Torcidas do Vasco da Gama, programado para o próximo sábado, dia 04 de Novembro.
A representante da Força Jovem, hoje Professora de Educação Física, iniciou sua carreira esportiva disputando os Jogos Infantis e Jogos de Primavera, promovidos pelo Jornal dos Sports, tendo conquistado vários títulos nas diversas modalidades para o Clube da Cruz de Malta.
Fonte: Jornal dos Sports 01 de Novembro de 1978

Força Jovem Jornal dos Sports 1978

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

DINOSSAUROS 2018: PALMEIRAS X VASCO

Mais um dia histórico da irmandade Vasco e Palmeiras FJV/MV .
"Todas as palavras que eu disser, será pequeno para agradecer a imensa receptividade o carinho o respeito a verdadeira amizade de irmãos, e sempre um prazer rever os irmãos da Mancha Verde.
Obrigado a todos pelo carinho vocês são 1000!" Disse Delcio Indio.
"Os antigos da Mancha Verde nos receberam na Quadra da Escola de Samba com um Café da Manhã e a tarde teve uma Feijoada e depois na Loja Oficial ainda teve uma roda de Samba. Foi muito legal, várias recordações e muita resenha," falou Márcio Monge.

Dinossauros Palmeiras x Vasco 2018

Dinossauros Palmeiras x Vasco 2018

Dinossauros Palmeiras x Vasco 2018

Dinossauros Palmeiras x Vasco 2018

Dinossauros Palmeiras x Vasco 2018





terça-feira, 14 de agosto de 2018

VASCO 2018: VASCO E PALMEIRAS, UM POUCO DA HISTÓRIA DE NOSSA AMIZADE

Há várias teorias para esse bom relacionamento, no qual torcedores se confraternizam antes e depois dos jogos. Uma delas se baseia no fato de que ambos foram fundados por imigrantes. Sejam os portugueses que vieram para o Rio e aqui se estabeleceram principalmente no pequeno comércio, convivendo com as comunidades negras e suburbanas do Rio; sejam os italianos que foram para São Paulo, onde se integraram à classe operária. Tanto um grupo quanto o outro chegara ao Brasil às vezes com a roupa do corpo, ficando ambos longe da elite dessas cidades.
Outros dizem que Palmeiras e Vasco seriam as principais forças de oposição aos times da maioria: Corinthians e Flamengo. Assim, alviverdes e vascaínos teriam se aproximado por se sentirem excluídos pelas elites e também pela mídia, que segundo eles, exaltaria mais as conquistas de corintianos e rubro-negros. Um fato histórico, porém, parece ligar em definitivo Vasco e Palmeiras. Em 1942, quando o Brasil entrou em guerra com o Eixo (Alemanha, Itália e Japão), todas as instituições que tivessem em seus nomes referências a algum desses países teriam de mudar suas denominações. Assim, o Germânia virou Pinheiros, e o Palestra Itália de Belo Horizonte, Cruzeiro. Mas e o Palestra Itália de São Paulo? De acordo com o que o goleiro Oberdan Cattani, que atuou no Palmeiras entre as décadas de 30 e 50 contou ao GLOBO em 2011, o velho Palestra foi duramente perseguido em São Paulo, porque a maioria de seus atletas tinha origem italiana, a ponto de serem chamados de fascistas e traidores. De acordo com alguns historiadores, o tricolor São Paulo, que ainda não era dono do Morumbi, estaria interessado no Parque Antarctica, caso o rival fechasse as portas.
— O São Paulo queria acabar com o Palestra e criou vários problemas. De Palestra Itália, mudamos para Palestra São Paulo, e depois, Palmeiras. Foi uma homenagem à extinta Associação Atlética das Palmeiras — explicou, em 2011, Oberdan, que morreria em 2014. — Na época, veio do Rio o Adalberto Mendes, oficial do Exército. Ele era vascaíno e veio nos dar apoio. Na decisão do Paulista, ele entrou em campo conosco, fardado, e todos levamos a bandeira brasileira.
O então capitão Adalberto, que chegou a general, era um sergipano que morava no Rio, onde chegou a ser dirigente vascaíno. Transferido pelo Exército para São Paulo, fez amizade com torcedores palestrinos e chegou a ser um dos vice-presidentes do clube. Pressionados, conselheiros do então Palestra se reuniram a 14 de setembro de 1942, para decidir qual nome adotar e o que fazer antes do jogo do domingo seguinte com o São Paulo. Se ganhassem, seriam campeões paulistas por antecipação. Como nem mesmo a adoção do nome Palestra São Paulo serviu para calar o São Paulo e a opinião pública, optaram por Palmeiras. Mudaram também as cores do uniforme, que até então era verde, branco e vermelho. O vermelho foi retirado e o clube passou a ser alviverde.
— Entramos com a bandeira (do Brasil), para mostrar que, mesmo filhos de italianos, éramos brasileiros. O Palmeiras ficou muito mal visto, por causa da Guerra — contou Oberdan, que foi reserva da seleção brasileira de 1950, em que fez amizade com Barbosa e vários atletas vascaínos. — No jogo (primeiro sob o novo nome), ganhamos do São Paulo por 3 a 1, e aos 20 minutos do segundo tempo, houve um pênalti a nosso favor, mas os são-paulinos abandonaram o campo.
A partida com o São Paulo foi disputada a 20 de setembro, que em São Paulo é chamado de “Dia do Palmeiras”. Em depoimento em 1982, o próprio Adalberto Mendes contou como teve a iniciativa de entrar em campo fardado e com os jogadores carregando a bandeira no episódio que ficou conhecido como “Arrancada Heróica”.
— Boatos diziam que haveria um clima de muita hostilidade por parte da torcida para com nossos jogadores, que realmente estavam preocupados. Percebi isso e notei também que nosso treinador, Del Debbio, tinha em mãos uma bandeira brasileira. Eu sabia que a exibição do pavilhão nacional só era permitida em eventos internacionais, mas chamei a responsabilidade para mim e orientei nossos atletas a entrarem, ao meu lado, carregando-o e o exibindo à toda a torcida que superlotava o estádio do Pacaembu — relatou Mendes em 1982, dois anos antes de morrer, em 1984. — Após alguns segundos de surpresa por parte de todos, fomos muito aplaudidos e nenhum ato hostil nos foi desferido.
Nove anos depois, no Maracanã, na Copa Rio de 1951, um torneio considerado uma espécie de Mundial de Clubes, na decisão entre Palmeiras e Juventus da Itália, a torcida do Vasco, que havia sido eliminado na semifinal, apoiou maciçamente o alviverde para que um time brasileiro ficasse com o troféu, o que aconteceu. Em campo, vários jogadores fizeram sucesso com ambas as camisas, como Jair, Friaça, Vavá, Leão, Edmundo, Luizão, Edilson, Evair, Euller, Juninho Paulista, Diego Souza, Pedrinho, Alan Kardec, Alecsandro e Fernando Prass.
Fonte: Jornal O Globo

Palmeiras foto Jornal O Globo 1942

Palmeiras foto site do Palmeiras


segunda-feira, 13 de agosto de 2018

TOV 1958: VALEU DE TUDO PARA CHEGAR A SÃO PAULO


A Torcida Organizada do Vasco é de desabotoar o paletó!
Com a falta de transporte para São Paulo, os torcedores serviram-se de todos os meios de condução. Ônibus, caminhões, trens e até “paus de arara”. Na hora do jogo a Torcida Organizada lá estava no Pacaembu, com bandeiras, fogos e a D. Dulce Rosalina a comandar os “casacas”.
O sacrifício dos torcedores Vascaínos, gastando os seus poucos cruzeiros para levar incentivo ao quadro Campeão do Rio-São Paulo, viajando sem comodidade, torna-se muito mais sentimental que qualquer grande dádiva ao Almirante.
Num dia de Páscoa, quando todos procuram o aconchego do lar, a Torcida Organizada Vascaína reúne todos os seus níqueis e segue para São Paulo dando uma demostração de amor ao Clube.
Esses torcedores, que tudo fazem sem qualquer recompensa, são os marujos mais graduados do Almirante.
Um grande “casaca” para esses bravos!
Fonte: Jornal dos Sports 08 de Abril de 1958


TOV Jornal dos Sports 1958

TOV Jornal Doário da Noite 1958

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

VASTELES 1979: A VASTELES FAZ 2 ANOS

No domingo, dia 19 a Vasteles comemorou seu segundo ano de fundação, com a seguinte programação:
6 Horas - Salva de 21 tiros
7 Horas – Missa em Ação de Graças
8 Horas – Partida de Futebol entre Vasteles x Fla 10
10 Horas – Corrida Rústica
11 Horas – Corrida de Bicicletas para os ciclistas do Bairro
14 Horas – Coquetel em nossa Sede
Severino, Rio
Fonte: Jornal dos Sports 21 de Agosto de 1979

Vasteles Jornal dos Sports 1979

Vasteles São Januário 1979

Vasteles década de 1980


quarta-feira, 8 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM E LEÕES VASCAÍNOS 1975: LIBERTADORES RUMO A COLÔMBIA

A Força Jovem, comandada por Ely Mendes, já está organizando a caravana que acompanhará o Vasco a Colômbia (Libertadores). 
A viagem em avião da Empresa Avianca, custará Cr$ 3.500,00 e terá dois planos de pagamento. Em dez parcelas ou em 20 vezes. 
Os interessados já podem procurar o encarregado dessas viagens, no Departamento de Troféus, em São Januário. (06/02)

APOIO NO AEROPORTO DO GALEÃO
Ely Mendes, representante da Força Jovem e Abílio Valente, pela Leões Vascaínos, estivem ontem de manhã, no Aeroporto do Galeão, onde foram levar seus incentivos ao time para obter sucesso em Medelin e Cáli. (07/03)
Fonte: Jornal dos Sports 06 de Fevereiro e 07 de Março de 1975

Força Jovem Jornal dos Sports 1975

Força Jovem e Leões Vascaínos Jornal dos Sports 1975

Força Jovem São Januário 1975

Força Jovem São Januário 1975


terça-feira, 7 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM 1971: TIME DE FUTEBOL

A Força Jovem do Vasco convida os torcedores para comparecerem sábado as 15 horas no Aterro do Flamengo, para incentivar o nosso time que jogará no campo sete.
Jorge, Força Jovem GB (20/08)

PELADA
A Força Jovem do Vasco convoca todos os atletas para o treino que será realizado no dia 23, no campo dois do Parque do Flamengo, às 17 horas. O treino é só para os adultos.
Jorge, Torcida Força Jovem do Vasco.
O Jorge disse que quer deixar o time da Força Jovem em ponto de bala para disputar o Campeonato Carioca de Pelada deste ano. (22/10)
Fonte: Jornal dos Sports 20 de Agosto e 22 de Outubro de 1971

Força Jovem Jornal dos Sports 1971

Força Jovem Jornal dos Sports 1971

Torcida do Vasco 1971


segunda-feira, 6 de agosto de 2018

TOV 1957: A CLARINADA DA VITÓRIA

Já se sentia falta nos jogos do Vasco, da trombeta do Ramalho. 
Ela reapareceu no Maracanã, clarinando aqui, ali, até os limites da Torcida do Vasco. 
As vezes se ouvia a trombeta do Ramalho do alto, as vezes de baixo, as vezes perto, as vezes longe. 
E Ramalho não parou. Foi até as fronteiras da Torcida do Fluminense, mas ficou mais perto do lado direito da grande arquibancada. A principio torcendo como sem que para que, pois o Vasco estava perdendo. 
Depois já com uma razão de ser, já que o Vasco empatara e finalmente para saudar a grande vitória. 
Era realmente a clarinada da vitória. 
O Ramalho soprava cada vez com mais força a trombeta de talo de mamona, conduzindo a Torcida do Vasco em seu delírio.
Fonte: Jornal dos Sports 02 de Dezembro de 1957

TOV Domingos Ramalho Jornal dos Sports 1957

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

TOV 1977: TORCIDA ORGANIZADA ARRASADORA

Não saiu em manchete, mas foi nítida aos olhos dos 12.000 vascaínos presentes em São Januário. 
Bombardeio na entrada da equipe, inúmeros torcedores uniformizados, alegria e vibração, num empurrar constante da Torcida e seus craques. Mas não ficaremos ai. Estamos nos coordenando para possibilitar aos associados da Torcida Organizada do Vasco (TOV) um bem-estar constante da Torcida e atuações nos setores desportivos (aguardem nosso time de futebol) e culturais
Fonte: Jornal dos Sports 10 de Abril de 1977

TOV Jornal dos Sports 1977

TOV São Januário 1977

TOV São Januário 1977

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

FORÇA JOVEM 1974: GARRAFAS VAZIAS

Em que pese aos representantes de algumas facções da Torcida do Flamengo virem a público inocentar os seus adeptos, a verdade é que as cenas de vandalismo continuam se repetindo a cada dia em que o Flamengo atua no Mário Filho. 
Sabemos perfeitamente que esse tipo de manifestação é própria de quem já começa a se ver ameaçado pela força popular do adversário. 
E como esse adversário é um Vasco acordado, o medo torna-se maior ainda. 
Agora, fiquem sabendo os mocinhos responsáveis pelos acontecimentos de domingo último no encerramento do jogo Vasco e Flamengo quando esses covardes que só atacam de bando tentaram arrancar a bandeira das mãos de um torcedor pertencente a Força Jovem do Vasco, além de agredi-lo a socos e pontapés.
Fiquem sabendo os rapazezinhos que nós da FORJOVA estamos apurando o fato e já que não existe mais garantias para se ir ao Estádio, vamos voltar a época da justiça pelas próprias mãos. 
Então vamos ver quem tem garrafas vazias pra vender... Guerra é guerra.
Régio Henrique, FORJOVA, GB.
Fonte: Jornal dos Sports 06 de Dezembro de 1974

Força Jovem Jornal dos Sports 1974

Força Jovem Maracanã 1974

Força Jovem Maracanã 1974