segunda-feira, 29 de outubro de 2018

TOV 1957: DOMINGOS RAMALHO, O TORCEDOR DIFERENTE QUE LEVANTA MULTIDÕES

Quem acompanha o futebol sabe que uma das suas principais características são as improvisações dos torcedores. Seu espírito alegre e folgasdo se transborda em diversas forma e sob os mais variados aspectos. 
Mas sobre todos, um já se firmou como o mais decisivo. Um simples sopro levanta a multidão Vascaína, que tem nele um amigo e um companheiro nas horas de tristezas ou de alegria. Seu boné branco. Sua faixa de Vasco, Sua calça impecavelmente passada, toda branca. Sua camisa em tecnicolor. Fazem parte de um todo.Mas.
- Quando criança, na minha terra a gente brincava de tiro de guerra. Nossas armas eram inúmeras. Mas tínhamos um grave problema. Quando o nosso bando se dispersava não havia um toque de reunir. A turma ficava espalhada e os bandidos fugiam sempre por falta de união. 
A gente era pobre e uma corneta era cara. Ai, então, eu fui tentando. Procurei tudo que o mato me dava de graça até que achei, num pé de mamão, esse talo”
Sim, tudo começou assim. Nós idos tempos do Tiro de Guerra de brincadeira para levantar multidões ao som de uma trombeta.
- Tenho sete filhos com nomes assim: Pinga, Carlos Alberto, Walter, Maria de Lourdes e Nancy Maria.
- Mas, esta faltando um.
- Ah, A maior conquista do Vasco, a Taça Tereza Herrera. Sim, a minha caçula tem o nome do, na minha opinião, maior triunfo Vascaíno.”
Ataca o Vasco, Rubens, vai com a bola, vai, vai vindo e chuta.
Era o goal.
E a trombeta de talo de mamona ecoou forte comandando a alegria.
Sim, lá em cima estava o homem da trombeta comandando aquele povo todo.
Em que mais pensa?
- No Vasco.
Onde nasceu?
- Ilhéus, Bahia.
Seu nome?
- Domingos Ramalho.
Essa a história de um homem simples que comanda com um talo de mamão uma multidão imensa.
Fonte: Jornal dos Sports 02 de Dezembro de 1957

TOV Domingos Ramalho Jornal dos Sports 1957

TOV Domingos Ramalho Jornal dos Sports 1957



Nenhum comentário:

Postar um comentário