sexta-feira, 31 de maio de 2013

RASTA DO VASCO MANAUS, IRA JOVEM E VASBOÊMIOS 2013: AÇÃO SOCIAL ALIMENTOS

A Torcida Vascaína de Manaus mais uma vez fez a diferença e compareceu para doar os alimentos arrecadados na III Copa do Brasil de Beach Soccer, realizada em Manaus no mês de Maio.
Durante o evento a Prefeitura da Cidade, promotora do evento, disponibilizou ingressos as Torcidas Organizadas.
A Rasta do Vasco Manaus junto com as suas aliadas Ira Jovem e Vasboêmios fizeram a arrecadação de alimentos juntos aos seus associados e a Torcida Vascaína de Manaus.
A entrega ocorreu no dia 30 de Maio de 2013 na Instituição Sementeira de Luz, localizada na Rua Geraldo Nascimento, 93, Bairro Colônia Santo Antônio, que atende diariamente em tempo integral 160 crianças desde recém-nascido a fase adolescente. A Rasta do Vasco Manaus (10º Arrastão) vem agradecer a todos os seus associados e amigos por essa iniciativa em prol do próximo.
RASTA DO VASCO MANAUS /+/ SEMPRE POR AMOR AO VASCO/+/
Visite o site: http://rastamanaus.wix.com

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013


Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013


Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

Rasta do Vasco, Ira Jovem e Vasboêmios Ação Social Manaus 2013

UNIÃO VASCAÍNA 2013: FESTA DA UNIÃO VASCAÍNA ZONA OESTE

Aconteceu no dia 30 de Maio, a Festa da UV Zona Oeste na Rua dos Açudes (em frente ao Bangu Shopping)

União Vascaína Festa Zona Oeste 2013

quinta-feira, 30 de maio de 2013

TOV 1966: EMBARQUE DA SELEÇÃO BRASILEIRA A COPA DO MUNDO DA INGLATERRA

Brito, Fontana e Fidélis foram, os mais ovacionados, porque as Torcidas do Vasco e Bangu, lideradas por seus Chefes Juarez e Dulce Rosalina, compareceram em massa, com bandeiras e instrumentos, mas não saíram do salão do Aeroporto, porque na pista só foram permitidos os passageiros
Fonte: Jornal Diário de Notícias 18 de Junho de 1966

Seleção Brasileira 1966

TOV Jornal Diário de Notícias 1966

Revista do Esporte Brito e Fontana 1966

TOV 1966: DESRESPEITO

Enquanto o Presidente, o Sr João Silva não segura firme nas rédeas do Vasco, e procura com seu espírito liberal prestigiar a todos os que lhe cercam, uma onda de desrespeito vai tomando conta do Clube, chegando ontem ao ponto de um benemérito, o Sr Dirceu de Almeida Vale, ser destratado pela torcedora Dulce Rosalina, na Sala de Sessões. 
O incidente, que nasceu quando um jornalista estranhou a torcedora procurar afastar o empresário Elias Zacour que ia ao Clube oferecer um negócio de milhões, uma excursão, acabou virando para o Benemérito, quando D. Dulce, atualmente secretária particular do Presidente João Silva, como ela mesma declarou ao Benemérito, descobriu o Sr Dirceu, a quem passou a proferir ofensas, inclusive acusando-o de mariquinhas, de só falar por trás, principalmente do Dr Alá Batista, de quem foge em todas as oportunidades. 
O incidente foi tão lamentável que, um jornalista presente disse, “se fosse no Fluminense, não vinha um Diretor não, mas um funcionário bem modesto, um porteiro, por exemplo, pegava essa senhora pelo braço e ela ia para fora do Clube por faltar com o respeito com quem, nem siquer, tem o direito de olhar”. 
O Sr Dirceu disse que a culpa era dos dirigentes, porque enviaram carta desrespeitosa ao treinador Iustrichi, Dulce Rosalina fora expulsa do Clube pelo Presidente Eurico da Costa Lisboa e por falta de pagamento fora eliminada pelo Presidente José da Silva Rocha, sempre conseguindo voltar e agora faz ponto no gabinete João Silva.
Fonte: Jornal Diário de Notícias 20 de Março de 1966

TOV Jornal Diário de Notícias 1966

quarta-feira, 29 de maio de 2013

TOV 1966: VASCAÍNOS HOSTILIZAM SANTISTAS

Esta confirmada para hoje a chegada ao Rio dos senhores Atiê Jorge Curi e Nicolau Moran, Presidente e Diretor de Futebol do Santos, segundo se anuncia, para fazer uma nova investida sobre o zagueiro Brito, o que, segundo o Vice Presidente Vascaíno, Antônio Soares Calçada, não terá qualquer efeito, sendo que a Torcida Vascaína promete comparecer ao Aeroporto para hostilizar os Dirigentes Santistas.....
Os Chefes da Torcida Vascaína, Dulce Rosalina e Ramalho, prometeram comparecer hoje ao Aeroporto Santos Dumont, para hostilizar o Presidente do Santos, que segundo se anuncia, vêm fazer nova tentativa para contratar o zagueiro central Brito para o Santos. 
A Torcida Vascaína promete fazer tudo que estiver a seu alcance para dissuadir os dirigentes do Santos do seu intento.
Fonte: Jornal Correio da Manhã 11 de Março de 1966

TOV Jornal Correio da Manhã 1966

TOV 1966: ANIVERSÁRIO DE DULCE

Ontem a tarde na Sede do Cineac, os dirigentes e torcedores do Vasco festejaram o aniversário de Dona Dulce Rosalina, oferecendo-lhe um bolo, refrigerantes e champanhe.
Compareceram também a Festa, Tarzan Chefe da Torcida do Botafogo, Paulista Chefe da Torcida do Fluminense e Jaime de Carvalho Chefe da Torcida do Flamengo.
Fonte: Jornal do Brasil 08 de Março de 1966

Dulce Rosalina, Chefe da Torcida do Vasco, comemorou seu aniversário (não digo quantas primaveras para não ser indiscreta), oferecendo uma festinha aos amigos e aos demais Chefes de Torcida do Rio.
Fonte: Revista do Esporte 02 de Abril de 1966


TOV Jornal do Brasil 1966
TOV Revista do Esporte 1966

TOV Jornal dos Sports 1966

terça-feira, 28 de maio de 2013

VASCO 2013: NOVO PARCEIRO NETVASCO

Netvasco
Eu que fico feliz pelo carinho que vocês tiveram em relação ao Blog TorcidasdoVasco, minha ideia sempre foi contar a história do Vasco através do angulo do torcedor, que é o maior patrimônio que um Clube pode ter.
Comecei querendo contar a linda História da Força Jovem, mais não poderia sem citar os primeiros torcedores, os torcedores símbolo e as Torcidas Organizadas que já foram extintas e as atuais.
Parabéns a Netvasco, o melhor site sobre o Vasco da Gama, não é por acaso que vocês são o Site de Clube número 1 do Brasil e o 4º Site não oficial mais visitado do mundo.
Agradeço o apoio e carinho que vocês estão dando ao Blog Torcidas do Vasco.
http://www.netvasco.com.br


NETVASCO

VASCO 2013: NOVO PARCEIRO BLOG KIKE DA BOLA

É um excelente Blog, criado em 2010, conta com muita matéria de revista antiga.
Uma aula de história do Vasco da Gama.
http://kikedabola.blogspot.com.br

Blog Kike da Bola


segunda-feira, 27 de maio de 2013

TOV 1966: TORCIDA DE DULCE SUMIU, MEDO DE PEDRA

O medo de novas baixas como na última refrega, quando alguns companheiros voltaram com pernas e cabeça quebradas a pedradas, impediu a Senhora Dulce Rosalina, Chefe da Torcida Organizada do Vasco, de reunir mais de 20 pessoas para ir hoje, a São Paulo, animar a equipe do Vasco contra o Corinthians, de quem perdeu na bola e na briga, quando do último Rio-São Paulo. 
Para mostrar que o medo dos torcedores corintianos, lá em São Paulo, não diminuem o entusiasmo da Torcida.
Dulce já mandou confeccionar uma faixa com os dizeres: 
“O Vasco é o orgulho da Guanabara”, que será levada sábado a noite, ao Maracanã, onde o Vasco enfrentará o Fluminense, quando então o Time voltará a sentir o calor de sua Torcida, que pretende lotar o Estádio.
Fonte: Jornal Diário de Notícias 02 de Março de 1966

TOV Jornal Diário de Notícias 1966

TOV 1966: NOVO APELO DA TORCIDA A MANOEL JOAQUIM LOPES

Enquanto isso Dulce Rosalina, Chefe da Torcida do Vasco, procurou contornar ontem a situação.
Principalmente ela foi ao escritório do Vasco e pediu-lhe em nome da Torcida que não deixasse o Clube.
Como Sr Manuel Joaquim Lopes se mostrou irredutível, D. Dulce então, procurou o Sr Alá Batista e pediu-lhe para renunciar a Presidência do Conselho Deliberativo. No entanto, nada conseguiu também.
Em vista disso, vários torcedores, inclusive a Chefe da Torcida, se dirigiram ao Sr Joaquim Melo, Presidente da Tradição Vascaína, para que reúna os membros da Chapa.
Fonte: Jornal do Brasil 05 de Janeiro de 1966

TOV Jornal do Brasil 1966

TOV Jornal Diário de Notícias 1966

TOV Maracanã 1966

domingo, 26 de maio de 2013

TOV 1965: VASCO X BOTAFOGO SURPRESA VASCAÍNA

Uma chuva de papel picado colorido, de quase dois mil jornais, que foram cortados há mais de uma semana, é o ponto máximo que a Torcida Organizada de Dulce Rosalina promete para recepcionar a equipe do Vasco, quando ela entrar em campo para o jogo de amanhã.
A grande preocupação dos torcedores Vascaínos, porém é a tentativa de burlar s vigilância do policiamento do Maracanã, para entrarem no Estádio com algumas toneladas de foguetes.
“Isso é porque o Botafogo tem a mania de levar foguetes, mas desta vez eles vão se arrepender, porque queremos ganhar até no barulho”, disse Dona Dulce.
Além disso, caso o Vasco vença, Dulce Rosalina contou que a Torcida Organizada do Vasco está preparando uma grande surpresa, principalmente para o Presidente Manuel Joaquim Lopes, mas não quis revelar sequer o que seja.

MULHER DE BRIGA 
Como autêntica Chefe de Torcida, única mulher em todos os Clubes do Brasil, Dona Dulce também está tomando várias outras providências festivas na vitória. Do Maracanã sairá um Bloco que ira a pé até São Januário.
“Também já pedi a Diretoria para abrir os portões de São Januário, que é para evitar a confusão de 1958. Naquele ano, quando conquistamos o Supercampeonato, o Presidente Eurico Lisboa não permitiu a nossa entrada lá e até chegou a chamar carros da Radiopatrulha para nos prender.”
 E você já foi presa, alguma vez por causa do Vasco?
“Não só presa, como também briguei já muito. A última vez em que fui presa, por coincidência, foi no jogo com o Botafogo, pelo Torneio Rio-São Paulo.
Estávamos no Estádio, eu e meus dois filhos, Poncinho de 15 anos, Maria de Lourdes, de 12, um guarda arrancou das mãos do garoto um embrulho com papel picado. Eu reagi, chamei-o de rubro negro e ele prendeu as duas crianças, colocando-nos num xadrez que estava cheio de marginais.
Esta diretoria do Vasco, contudo, dá todo apoio aos torcedores, o Presidente Lopes e o Dr Agatirno Gomes, do Departamento Jurídico, foram nos soltar, ameaçando, inclusive que o Vasco não jogaria se continuássemos presos. Quanto a briga, chegamos a trocar bofetões até com o Tarzan, que hoje é meu grande amigo e já brigou duas a três vezes do nosso lado”.

CORAÇÃO ARDENTE 
Sem complexos ou inibição, Dona Dulce diz que é antes de tudo uma Vascaína. É ela quem paga os ingressos dos torcedores mais pobres do grupo, compra serpentina, confete e fogos e foi quem deu os instrumentos da bateria da Torcida Organizada. 
Apesar de não ser rica, não aceita um centavo do Vasco. Seu argumento é que o cargo que ocupa é um ideal, e ideal não tem preço.
“No entanto, tenho certeza de que eu precisasse de alguma coisa, poderia recorrer ao Vasco, pois seu Lopes e seu Calçada estariam prontos a nos auxiliar.”
Tanto D. Dulce como quase todas as pessoas que compõem normalmente a Torcida Organizada são sócios do Vasco. Ela é contribuinte e patrimonial e nesta gestão, chegou a ser convidada pelo Presidente Lopes para tomar parte da Diretoria.
“Meu lugar é na arquibancada. Chefiar a Torcida da tanto trabalho como ser dirigente, e eu prefiro ficar lá.”
Dona Dulce é Chefe da Torcida do Vasco há 9 anos. Este encargo foi herdada de outra mulher. Dona Margarida Portugal, que era auxiliada pelo seu irmão Mário Portugal.
A Torcida Organizada do Vasco conta com cerca de 100 pessoas que vão sempre aos jogos, com chuva ou sol. Das 100, 15 são mulheres, que segundo Dona Dulce, adotam a tese de que “os palavrões que são proferidos em campo entram por um ouvido e saem pelo outro”.
“Mas no entusiamo as vezes até nós mesmas dizemos algum.”

OUTROS TORCEDORES 
Dona Dulce, viúva do jogador Ponce de Leon, disse que mesmo quando seu marido jogava, torcia pelo Vasco.
“Em 1947, inclusive, quase que eu arranjei para Ponce jogar no Vasco. Tudo estava certo financeiramente, mas Flávio Costa foi contra.”
Seus dois filhos também são apaixonados pelo Vasco. Poncinho, então, é o que mais gosta. É ele o responsável pelo papel picado com que a Torcida recepcionará os jogadores amanhã. Disse Dona Dulce que Poncinho está cortando os jornais desde o dia seguinte a vitória contra o Flamengo e só para ir ao Colégio.
“Mesmo em casa, estudando, Poncinho fica cortando os jornais e estudando com o livro aberto ao lado, “argumentou.
A Torcida do Vasco tem também, outras pessoas que se sobressaem sobre os demais torcedores.
Cartola (João Ferreira da Silva) é um deles. É conhecido assim porque o veterano sargento reservista da Marinha só anda de fraque e chapéu gelot. Os botões e as abotoaduras da sua camisa são escudos do Vasco e até na arcada dentária, três dos seus dentes incisivos também tem o distintivo do Clube.
Além dele, o Ramalho, o homem que tira estridentes sons musicais através de um talo de mamona.
Mas o mais barulhento de todos na Torcida é o jovem Paulo César, sobrinho de Dulce, que toca um reco-reco. Aliás, este reco-reco é mexicano. Foi cedido pelo Toluca e trazido pelo ex goleiro Humberto, numa homenagem ao torcedor brasileiro.
Fonte: Jornal do Brasil 04 de Setembro de 1965

TOV Dulce Rosalina Jornal do Brasil 1965

TOV Dulce Rosalina Jornal do Brasil 1965



TOV 1965: DUELO ENTRE TORCIDAS TEM FIBRA DE D. DULCE DE UM LADO E O EXEMPLO DE TARZAN DO OUTRO

Vasco e Botafogo já escolheram padrinhos, já aprontaram armas, já tomaram mil outras providências e estão prontos para mais um duelo de Torcidas, amanhã a tarde no Maracanã, onde será decidida a Taça Guanabara. 
Do lado direito da Tribuna de Honra, no meio de uma bateria enfezada, bem perto do reco-reco do Paulinho, do talo de mamona do Ramalho e dos dentes com escudo do Vasco do velho Cartola, Dona Dulce estará chefiando, disposta a tudo, até mesmo a trocar alguns bofetões com um inimigo em lugar errado, a vibrante Torcida Organizada do Vasco.
Do outro lado, embora tenham perdido com Tarzan um Líder de primeira, Samar, Camélia e o grupo do Coelho se unirão aos rapazes do Colégio Pedro II e ao sempre embandeirado Bertoldo, para dar ânimo a apaixonada Torcida Botafoguense.
Dona Dulce, que não se intimida com palavrão, pois ela mesma não consegui evitar que algum lhe escape, nem tem medo de polícia, lembrando que já foi presa por amor ao Vasco, promete uma festa barulhenta e colorida, com foguetes explodindo e chuva de papel picado.
Bertolo ou Beto para os mais íntimos, também já picou papel em quantidade e acha que a festa, afinal será mesmo do Botafogo, cuja Torcida fez muito bem em trocar o velho símbolo do pacato Pato Donald pela cara amarrada do Galo Carijo. 
Tudo isso será feito de modo bem carioca, bem apaixonado, bem a altura de um drible de Garrincha ou de uma investida de Célio, e bem ao gosto de duas Torcidas imensas como as de Vasco e Botafogo.
Fonte: Jornal do Brasil 04 de Setembro de 1965


TOV Jornal do Brasil 1965

TOV Jornal do Brasil 1965


TOV 1965: PEDIDO DOS TORCEDORES

A derrota contra o Botafogo não afetou o Vasco. 
Seus Dirigentes, o Técnico Zezé Moreira e até mesmo os jogadores preferiram falar ontem da boa exibição do quadro adversário a apontar os erros de sua equipe.
Apenas a Torcida do Vasco é quem reclama. E contra o Árbitro Armando Marques, que foi por ela xingado no Maracanã. 
Ontem a tarde, Dona Dulce Rosalina, Chefe da Torcida Organizada, conversou com o Senhor Antônio Calçada e lhe pediu em nome dos Vascaínos para que não deixasse nunca mais Armando Marques apitar um jogo do Clube.
O Vice Presidente de Futebol ainda tentou explicar que o Juiz não teve interferência no resultado, mais Dulce Rosalina não se convenceu e manteve seu pedido, explicando ainda que muitos dos torcedores foram presos por terem se manifestado, com ofensas contra Armando Marques.
Fonte: Jornal do Brasil 13 de Agosto de 1965

TOV Jornal do Brasil 1965

sexta-feira, 24 de maio de 2013

TOV 1965: CARAVANA A SÃO PAULO

DETALHAR A ORGANIZAÇÃO
Os torcedores já organizam uma caravana de 17 ônibus para assistirem a partida de amanhã em São Paulo.
Dona Dulce Rosalina fretou seis ônibus, o Vasco seis, os torcedores dos subúrbios três e os de Barra do Pirai, dois.
Fonte: Jornal do Brasil 15 de Fevereiro de 1965

TORCIDA DO VASCO EM SÃO PAULO
O Vasco da Gama jogará, domingo em São Paulo contra o Corinthians na abertura do Rio São Paulo, incentivado por sua Torcida, D. Dulce Rosalina, Chefe da Torcida Organizada, conta com ônibus especiais, ao preço de 3 mil cruzeiros por pessoa. A saída será zero hora de domingo, em frente ao Edifício Cineac, no Centro do Rio de Janeiro.
Fonte: Jornal Última Hora 09 de Fevereiro de 1965

TOV Jornal do Brasil 1965
TOV Jornal Última Hora 1965

TOV 1965: VASCO "A POTÊNCIA"

Bastou a personalidade de Zezé Moreira, despertando a confiança nos jogadores, para o Vasco, em menos de um mês, voltasse a se tornar “A Potência”, como carinhosamente o apelidaram seus torcedores.
A vitória no Torneio do IV Centenário mostrou que o Vasco conseguiu se reencontrar....
E enfim o novo Vasco, que a barulhenta Torcida Organizada por Dulce Rosalina cantou no Maracanã, com a música de Mulata Bossa Nova (Mulata iê-iê-iê) de João Roberto Kelly de 1964, sucesso no carnaval de 1965, cantada por Emilinha Borba, após a goleada sobre o Flamengo.

VASCO BOSSA NOVA
O Vasco Bossa Nova
Caiu no hully-gully
E só deu ele
Zé, Zé, Zé, Zé, Zé, Zé, Zezé
É culpa dele.
Fonte: Jornal do Brasil 23 de Janeiro de 1965

TOV Jornal do Brasil 1965

Vasco fonte Arquivo de Clóvis 1965

TOV 1965: VASCO EM CARNAVAL ADOTOU POIS-POIS

Com músicas do carnaval passado, entre as quais “E com esse que eu vou” e “Saci Pererê”, e outras melodias populares com letras arranjadas na hora para exaltar o Vasco, como o “Joga A Chave Meu Amor”, os torcedores Vascaínos festejaram em delírio a vitória sobre o Flamengo, como se a conquista do Torneio IV Centenário valesse tanto quanto um Campeonato Mundial, num extravasamento dos complexos adquiridos nos últimos anos e adotaram o “pois-pois” como réplica do “Olé”.
No Bar Indiano, que fica próximo ao Maracanã, na esquina das Ruas São Francisco Xavier com Visconde de Itamarati, reuniu-se o estado maior da torcida Organizada do Vasco, sob o comando de Dulce rosalina, quando ficou resolvido, em meio de muitos vivas e casacas, o grito de guerra do Vasco, que a Torcida vai cerrar fileiras em apoio ao time, acompanhando-o inclusive no Rio-São Paulo, para o que partirá dia 13 próximo, as 23 horas, da porta do Cineac, para levar a São Paulo os torcedores que irão incentivar o time contra o Corinthians, na estréia do Torneio.

BOSSA É POIS-POIS
Em meio dos festejos, explicaram os torcedores que o Vasco não deu Olé no Flamengo, porque isso é coisa já superada. Que agora a bossa é o pois-pois, que faz o adversário ficar na roda mais uma homenagem aos portugueses, que são a alma do Clube.
As musicas cantadas durante o pois-pois no campo e repetidas depois nos bares, estavam com as seguintes letras.

OBA DO BAFO DA ONÇA
“É com esse que eu vou/ 
abre a roda ia-ía/ 
esse é o Vasco da Gama/ 
com Zezé pra ganhar.”
Essa letra era cantada com a música do Bafo da Onça.

SACI PERERÊ DO BAFO DA ONÇA
Com a música de Saci Pererê, também do Bafo da Onça, os torcedores cantavam.
“Eu quero ver o Mengo/
Pererê- Pererê- Pererê/ 
oi, sambando na roda do Vasco/ 
imitando Saci Pererê. 
Quero ver.”

Além dessas e da “joga a Chave”, muitas outras foram cantadas, em todas havendo uma letra exaltando o Vasco e mexendo com o Flamengo e seus torcedores.
Quando alguém criticava a euforia demasiada dos Vascaínos, Dulce Rosalina respondiam que era porque ninguém sabe o que é ficar tantos anos sofrendo e sendo ironizado por  todos.
Fonte: Jornal Diário Carioca 16 de Janeiro de 1965

Vasco Campeão do Torneio do IV Centenário 1965

TOV Jornal Diário Carioca 1965


quinta-feira, 23 de maio de 2013

TOV 1964: DUQUE TEM TAMBÉM APOIO DA TORCIDA

Dona Dulce, Chefe da Torcida Organizada do Vasco, numa atitude de verdadeira Vascaína, decidiu também colaborar na fase de reação do time, hipotecando solidariedade ao Técnico.
Uma medida segura e importante, porque sabe Dona Dulce que todo Vasco unido será maior a possibilidade de levantar o quadro neste campeonato em que nem tudo está perdido.
Fonte: Jornal Última Hora 31 de Julho de 1964

TOV Jornal Última Hora 1964
TOV São Januário Jornal O Globo 1964
TOV Basquete Jornal O Globo 1964

TOV 1963: DULCE GRANDE PAIXÃO

Segundo a "Revista do Esporte", principal publicação esportiva do país na década de 1960, Dulce Rosalina era capaz de gastar tudo o que tinha, sair de casa às 9 h da manhã, debaixo de sol ou de chuva, para ir o mais longe que fosse "pelo prazer de torcer por seu Clube do coração”.  
As vezes, saía dos jogos só com o dinheiro das passagens dela e dos filhos. O que tivera a mais pagara o coletivo e a entrada da turma do bolso furado. 
“Não recebo nenhuma ajuda do Vasco. Fazemos tudo e coração, porque somos vascaínos”, afirmou ela à "Revista do Esporte" Nº 237, 21 de Setembro de 1963. 
Por aquela época, ela tinha na Torcida Organizada colabores como Ivan Monteiro, Osvaldo da Silva, José Luis Farias, Raimundo Gadelha, Fernando Xavier, Fernando Uchoa, José Bezerra, Cartola e a ala feminina formada por Aida de Almeida, Conceição, Ermelinda, Idalina David Barbosa, Madame Bastos e Norma Uchoa, principalmente.  
 No meio da Torcida, Dulce agitava ao som da Bandinha do Almirante, chefiada por Laerte Crema, que tomava conta do reco-reco e liderava a bateria, tocada, por Paulo e Zacarias. Monteiro cuidava dos pratos, Francisco da Rosa das maracás e o incrível Domingos Ramalho fazia o seu barulho, com um talo de mamona, enquanto Eli e Tião (Sebastião Gonçalves carvalho) puxavam os gritos de “casaca, casaca”. 
Antes daquilo rolar, Tião ajudava Dulce a fazer painéis e bandeirinhas. 
“O reco-reco foi presente da Torcida do mexicano Toluca trazido pelo Humberto Torgado (goleiro)”, contava Dulce.
Na época em que Dulce Rosalinda chefiava a Torcida Vascaína, o zagueiro central e capitão Hideraldo Luiz Bellini era o atleta mais admirado. 
“Foi o ídolo que deixou mais saudade”, dizia, estendendo a admiração da galera a um  outro zagueiro, Haroldo (Campeão Carioca, em 1952), aos atacantes Sabará (Campeão Carioca em 1958) e Célio (Campeão da Taça Guanabara-1965) e ao goleiro Humberto, os dois últimos vistos  como os atletas mais atenciosos. 
Sobre  treinadores, por ter vivido, intensamente, as décadas 1950/60, Dulce dizia que Gentil Cardoso (Campeão Carioca-1952), Martim Francisco (Campeão Carioca-1956) e Francisco de Sousa Ferreira, o Gradim (Campeão Carioca-1958) foram os melhores que passaram pela Colina.
E revelava: “Chegamos a coletar 1.200 assinatura para Seu Gentil voltar a treinar o Vasco, pois a Torcida não confia em Jorge Vieira (em 1963)”.  

GRANDE EMOÇÃO
Dulce apontava Vasco 3 x 2 Fluminense, de virada, no segundo tempo, o jogo mais emocionante que assistira – Campeonato Carioca de 1956, com gols de Livinho (2) e Valter Marciano. 
A maior tristeza? Vasco 2 x 3 Santos, no Pacaembu, que tiraram do time o bi do Torneio Rio-São Paulo.
 Naquele jogo, o Vasco pisara na bola, feio!. Estava invicto e deixou o Peixe morder. Se bem o adversário tinha um garoto endiabrado com a sua camisa 10. Era a fase de crescimento da torcida santistas,  responsável, certamente, pelo público estimado de 21 mil presentes ao Pacaembu (renda de Cr$ 905 mil, 695,00 cruzeiros) , com um gol do "guri 10" e dois de Coutinho.
 Embora nenhum juiz servisse para a Torcida Organizada de Dulce, que só livrava a cara do bandeirinha Amaro de Souza Gomes, o árbitro daquele dia, Frederioco Lopes (RJ), não influiu no placar. 

O Vasco do grande choro de Dulce foi: Barbosa, Dário, Viana e Coronel; Laerte e Russo; Sabará, Robson, Zé Henrique (Cabrita), Rubens e Peniche (Osvaldo). Técnico: Gradim. O Santos teve: Laércio, Ramiro, Getúlio e Mourão; Álvaro e Zito (Fiote); Dorval, Jair Rosa Pinto, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Luis Alonso Peres  Lula.

DESTINO
Dulce Rosalina tornou-se a primeira mulher a liderar uma Torcida Organizada por acaso. 
O então Chefe, a Margarida Portugal, andava triste pela perda do pai e afastou-se da função. 
Torcedores-símbolos, como Tião e Ramalho, e até o Presidente do Vasco, Arthur Pires, lhe pediram para comandar a rapaziada.
Dulce garantia que era de torcer contando só com a força do time. Jurava que a Torcida Vascaína não fazia  acordos com o além, pra vencer. 
No máximo, agradecia os triunfos acendendo algumas velas para a protetora, Nossa Senhora das Vitórias.
Uma coisa Dulce não negava: o maior prazer da Torcida Vascaína era vencer o Flamengo. 
Mas fazia questão de deixar claro que a rivalidade ficava restrita aos gramados. Tanto que ela era muito amiga do Chefe da Charanga Rubro-Negra, Jaime de Carvalho. Também, fazia questão de dizer que a sua patota não vaiava jogador, por mais que fosse a sua pixotada, ao contrário de hoje. 
Quando lhe pediam para escalar o Vasco de todos os tempos, desfilava: Barbosa, Augusto e Haroldo, ou Rafagnelli ou Bellini; Ely, Danilo e Jorge; Sabará, Ademir Menezes, Célio Taveira, Ipojucan, ou Lorico, que considerava no mesmo nível de Maneca, e Chico, na ponta esquerda. 
Portanto, jogadores das décadas de 1950/60.
Fonte: http://kikedabola.blogspot.com.br e Coluna do Gustavo Mariani do Jornal de Brasília

TOV Dulce Rosalina Jornal de Brasília
TOV Dulce Rosalina e Bellini década de 1950

quarta-feira, 22 de maio de 2013

TOV 1963: DULCE ROSALINA NÃO PAGA MENSALIDADE DE UM CLUBE QUE SÓ PERDE

A senhora Dulce Rosalina, associada do Vasco e Chefe da Torcida Organizada, em resposta a alegação da atual Diretoria Cruzmaltina de que não poderia dar palpites nos assuntos do Clube porque estava em débito com a tesouraria pois deve desde o mês de Junho passado, declarou que não paga porque não quer prestigiar uma Diretoria que não merece o apoio dos Vascaínos.
“Pagarei minhas mensalidades de uma só vez, ao Senhor Manuel Lopes, quando este assumir o comando do Clube. Antes não, pois não porei meu dinheiro nas mãos de incompetentes, como estão provando ser desde que assumiram, “disse a conhecida desportista a reportagem de A Noite.

JOGAR DE GRAÇA
Devota ao Clube, e conceituada entre os associados, Dulce diz que não se surpreende com as injustiças de que vem sendo vítima e que tem esperança de que dias melhores virão para ela e para o Vasco.
Uma prova do devotamento da Chefe da Torcida Organizada Vascaína ao seu Clube está na medida que vem tomando de preparar seu filho, que dizem ser craque, para jogar pelo Vasco sem ganhar coisa nenhuma, porque será amador.
Fonte: Jornal A Noite 19 de Outubro de 1963


TOV Jornal A Noite 1963

TOV 1963: ELEIÇÃO NO VASCO TORCIDA APOIA TRADIÇÃO VASCAÍNA

A Chapa Tradição Vascaína apresentou oficialmente candidatura a Presidência do Vasco para o biênio 1964-65, inaugurando também a batalha eleitoral.
No Restaurante Recreio a Tradição Vascaína ofereceu um churrasco ao Sr Manoel Joaquim Lopes, candidato, ao qual compareceram grande número de associados do Clube, entre os quais figuras de maior expressão no Clube de São Januário.
O Sr Manoel Joaquim Lopes conta com o apoio também da Torcida Organizada, tendo em D. Dulce Rosalina, uma de suas maiores colaboradoras.
Fonte: Jornal Última Hora 14 de Outubro de 1963

Concorreram as eleições as Chapas
Tradição Vascaína e Luso Brasileira Juventude Vascaína.
Foi eleito Presidente José da Silva Rocha em 1963
Em 1964 assumiu a presidência Manoel Joaquim Lopes
Tradição Vascaína: (oposição) 1681 votos
Luso Brasileira Juventude Vascaína: (Situação) 863 votos
Votos em branco: 7 votos

Nota da NETVASCO: José da Silva Rocha, também conhecido como Rochinha, acabou eleito Presidente do Vasco e comandou o clube durante o ano de 1963. Mais tarde, em 1975, publicou um importante livro sobre a história do clube, intitulado "Club de Regatas Vasco da Gama Histórico 1898-1923".


Vasco Eleição Chapa Tradição Vascaína Jornal dos Sports 1963

TOV Jornal Última Hora 1963
Vasco Presidente José da Silva Rocha Revista do Esporte 1964

terça-feira, 21 de maio de 2013

TOV 1963: VASCO SUSPENDE CHEFE DA TORCIDA

O Vasco resolveu suspender por 6 meses, proibindo sua entrada em todas as dependências do Clube, da Dulce Rosalina, Chefe da Torcida do Clube, que foi enquadrada no artigo 25 de seus Estatutos, por ter dado entrevista sobre a questão do Técnico, considerada inoportuna e desrespeitosa aos Dirigentes Vascaínos.
Fonte: Jornal Correio da Manhã 02 de Outubro de 1963

TOV Jornal Correio da Manhã 1963

TOV 1963: TORCIDA DO VASCO PODE ENTRAR DE GREVE, DULCE PODE SER PUNIDA

A Torcida do Vasco da Gama poderá entrar de greve se ficar confirmada a punição que o Dirigente Eurico Lisboa pediu para ser imposta a Dulce Rosalina que, segundo o Dirigente, atacou o Clube em declarações proferidas a um Jornal da Cidade.
Fonte: Jornal A Noite 26 de Setembro de 1963

TOV Jornal A Noite 1963

segunda-feira, 20 de maio de 2013

GUERREIROS DO ALMIRANTE 2013: GDA EMITE NOTA APOIANDO A 'VASCO DÍVIDA ZERO'

O Movimento Guerreiros do Almirante realizou sua reunião aberta neste domingo (19 de Maio de 2013), e contou com a presença dos representantes pela campanha 'VASCO DÍVIDA ZERO'. 
Uma reunião que foi um sucesso, e que foi muito esclarecedora.
Iremos ajudar a campanha VDZ.
No jogo de estréia do Brasileirão, dia 25 em São Januário, iremos ajudar na distribuição de panfletos divulgando a campanha.
Nos prontificamos também em fazermos arrecadações mensais dentro do GDA para pagamentos de DARFs em nome do GDA.
Ajudaremos também em toda divulgação possível da campanha. Através de nossas mídias sociais, dentro do GDA e buscaremos fazer faixa/bandeira para que possamos ajudar mais ainda na divulgação da campanha.
www.vascodividazero.com.br - PAGUE ESSA IDÉIA!
Fonte: http://www.supervasco.com

Guerreiros do Almirante Vasco Divida Zero 2013