quarta-feira, 31 de julho de 2013

DRAGÕES DA REAL 1988: HISTÓRIA

Fundada na década de 1980 e acabou em 1988.
"Boa época essa. Essa Torcida deixou saudades. 
Apenas para conhecimento, essa Torcida foi fundada dentro do Clube Ginástico Português por Vascaínos frequentadores do Clube. 
Entre seus participantes, podemos destacar os fundadores: China, Glória, Bolinha, Heman, Paulinho, Peixada, Álvaro Miranda, Marquinhos, Cabeça, entre outros. 
Em 1988, se juntou a Univasco e Leões da Colina dando origem a Anarquia". Disse Marcelo Bacalhau em 01 de Agosto de 2013.

Dragões da Real São Januário 1987

Dragões da Real São Januário 1987

Dragões da Real e FJV São Januário 1987

FORÇA JOVEM, TOV, RENOVASCÃO E ALMIRANTE DA COLINA 1979: FINAL DO BRASILEIRO INTERNACIONAL X VASCO

Vasco, uma Torcida desiludida.
Se no Maracanã, com cerca de 60 mil pessoas a seu favor, suas bandeiras, sua banda de música, enfim o estímulo de sua Torcida, o Vasco se curvou ao Internacional, o que poderiam esperar do Time, o pequeno grupo que estava ontem no Beira Rio, com apenas duas bandeiras da TOV. Um milagre de Natal. Talvez.
Ontem, apesar de ser 23 de Dezembro, antevéspera do Natal, só aconteceu mesmo o que já era esperado, a vitória do Internacional (2 x 1) e a festa do título. 
As bandeiras Vascaínas só ficaram desfraldadas para saudar o time em campo e depois no mar vermelho e branco do Beira Rio, perderam completamente o sentido, como se fossem um corpo estranho na festa em que não foram convidadas.
Desânimo Justo.
Dois ônibus trouxeram o pequeno grupo a Porto Alegre, numa viagem cansativa, sacrificada, as vésperas de uma data em que todos só desejam estar junto as famílias. Mas não foi a falta de apoio da Torcida que derrotou o Vasco. 
Seus jogadores são suficientemente experientes para saber que poucos estariam aqui para vê-los e que a festa era dos donos da casa. 
Quando teve tudo a favor, o time não soube corresponder.
Tudo seria diferente se o Vasco tivesse vencido no Maracanã. 
Dias antes, as caravanas estavam sendo organizadas em São Januário e o entusiasmo era grande. 
Para vir a Porto Alegre ver o time Campeão Brasileiro seria necessário vencer ou empatar o primeiro jogo e a Torcida confiava.
É certo que a Torcida voltará com suas bandeiras, seu incentivo, seu amor quase inexplicável para quem não entende as paixões do futebol, assim que a temporada recomeçar. 
É certo que lá estarão a TOV, a Força Jovem, a Renovascão, a Almirante da Colina e outras. Se poderá ver, então, o mesmo amor que leva alguns abnegados para tão longe de casa numa época em que ninguém quer sair, muitos querem voltar e não podem e outros adiam a partida...
Fonte: Jornal do Brasil 24 de Dezembro de 1979

Força Jovem, TOV Jornal do Brasil 1979

TOV Porto Alegre Jornal do Brasil 1979



terça-feira, 30 de julho de 2013

FORÇA JOVEM E TOV 1979: ROBERTO É HOSTILIZADO

Depois de considerar a perda de dois pênaltis contra o América fato superado, o atacante Roberto confirmou ontem que pretende sair do Vasco no fim do contrato, em Dezembro, por achar que é a única maneira de ganhar bem mais do que atualmente.
Para ele, os torcedores que vem hostilizando e dos quais se queixou domingo parecem  ser da Força Jovem ou da TOV, que tem Salas no Vasco...
Fonte: Jornal do Brasil 05 de Novembro de 1979.

Força Jovem e TOV Jornal do Brasil 1979

Torcida do Vasco 1979
Força Jovem 1979

RENOVASCÃO, VASBICÃO E VASTELES 1979: PROTESTOS

“Não vendam nossos craques”, “Modificação total no Vasco”, “Estamos com Calçada, Sendas e Olavo” e outras faixas e gritos eram lidas e ouvidas em todas as facções das Torcidas do Vasco que assistiram ontem em Petrópolis, a mais um resultado negativo de seu time, desta vez, para o Serrano por 2 x 1. 
Na saída do Estádio Atílio Maroti, a Chefe da Torcida Renovascão, pedia a diretores do Vasco um time.
Outras facções, como a Vasbicão e a Vasteles, protestaram contra a venda de alguns jogadores, entre eles Abel.
Fonte: Jornal do Brasil 06 de Agosto de 1979

TOV e Vasgonçalo Jornal do Brasil 1979

Renovascão, Vasbicão e Vasteles Jornal do Brasil 1979 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

FORÇA JOVEM 1979: SORTEIO DE CAMISAS DOS JOGADORES

Ely, Chefe da Força Jovem, anunciou o sorteio de três camisas dos jogadores Paulinho, Guina e Gaúcho.
Ele confirmou que os torcedores pretendem comparecer em grande número ao Maracanã para não serem superados pelo Flamengo.
Fonte: Jornal do Brasil 21 de Julho de 1979

Força Jovem Jornal do Brasil 1979

Vasco Paulinho

Vasco Guina

Vasco Gaucho

TOV E ALMIRANTE DA COLINA 1979: BASQUETE

Parabéns a grande Torcida Vascaína pela conquista do Campeonato Carioca de Basquetebol. 
Realmente no dia 30 de Janeiro de 1979 o numeroso público presente ao Maracanazinho pode assistir a uma belíssima exibição do esporte da cesta...
Gostaria também de destacar particularmente a TOV (Torcida Organizada do Vasco), e a Torcida Almirante da Colina (TAC), chefiadas respectivamente pelos incansáveis César e Chiquinho que acompanharam o excelente Five do Vasco durante todo o campeonato, fosse o adversário a frágil equipe do Iguaçu a ótima equipe do Tijuca ou do Botafogo ou as poderosas do Municipal ou Flamengo. As outras facções de Torcidas, que só participaram dos jogos finais, também o meu voto de louvor pelo pé quente.
Eduardo César Souza Mendes- Rio de Janeiro.
Fonte: Jornal do Brasil Seção de Cartas 12 de Fevereiro de 1979

TOV e TAC Jornal do Brasil 1979

TAC Torcida Almirante da Colina 1979

TOV 1977

TOV 1977

Vasco Basquete 1979


domingo, 28 de julho de 2013

FORÇA JOVEM 1978: DUAS TORCIDAS JÁ ESTÃO PRONTAS PARA A GRANDE GUERRA

Vasco x Flamengo, final da Taça Rio.
Não são apenas as duas maiores Torcidas da Cidade.
São também as mais apaixonadas, as mais vibrantes, as mais decididas a ganhar este jogo no grito de seus grupos organizados, no barulho de suas charangas, na colorida agitação de suas bandeiras. 
Para Flamengo e Vasco ou mais precisamente para seus torcedores Uniformizados, o Maracanã viverá hoje a tarde mais uma guerra de faixas, estandartes, papel picado, fogos e permanente batida de surdos. 
Para o Rubro Negros, a esquerda da Tribuna de Honra, a guerra poderá terminar com uma gigantesca passeata do Título de Campeão Carioca de 1978;
Para os Vascaínos, do lado oposto, a certeza e de que a passeata terá outras cores e claro, outros motivos, o adiamento da Decisão para a melhor de 4 pontos. A guerra como de hábito, poderá ter alguns excessos. A polícia está de sobreaviso para evitar que o calor da tarde e do jogo, se transforme em violência. No final excessos a parte, na guerra destas Torcidas quem sairá ganhando é o futebol.

DEDICAÇÃO
A preparação das Torcidas para um jogo decisivo como o de hoje, é tratada por seus componentes com muita seriedade. 
Para incentivar seus Times, eles trabalham durante toda semana, muitas vezes durante a noite, em atividades que vão desde a confecção de bandeiras, faixas gigantes e papel picado até cortar mastros e afinar instrumentos musicais.
No Vasco, as Facções ao todo são cerca de 50, tiveram diversas reuniões com dirigentes do Clube, que lhe deram total apoio inclusive financeiro, para os preparativos do jogo de hoje. Entre outras formas de apoio a equipe, fizeram uma faixa com 100 metros de comprimento por 1.60 m de largura, na qual se ler Campeão da Taça Rio.
Além disso, cortaram 3 mil 500 mastros de bambu, fizeram duas mil bandeirolas, compraram duas mil bolas de encher, três mil apitos, 1 mil 500 rolos de papel higiênico, contrataram cerca de 300 músicos.
Além de uma inovação, 500 Cruz de Malta vermelha , feitas com purpurina como as alegorias de mão das Escolas de Samba.
Numa demostração de confiança, já marcaram para amanhã (04/12/78), uma reunião, em São Januário, onde iniciarão os preparativos para a melhor de 4 pontos e já pensaram em outra novidade, a confecção de cataventos.
No Flamengo, os Chefes de Torcida reuniram-se com o presidente Márcio Braga e abriram mão de qualquer auxilio financeiro, em vista dificuldades que o Clube esta enfrentando.  
Por isso cada uma das Torcidas, separadamente, esta se preparando a sua maneira. 
Como há mais de 80 Torcidas no estatuto do Clube, espera-se uma grande festa para incentivar a equipe....

VITÓRIA
Ricardo Muel, da Flamante, acha que o que vale numa guerra de Torcidas, é a vibração.
As alegorias são interessantes, mas o que vale mesmo é a gente gritar os 90 minutos, vibrar com o Time. 
A Torcida do Vasco por exemplo, recebe dinheiro do Clube e entra toda enfeitada, mas na hora do grito, o que se houve mesmo é Vasco.
Já Ely Mendes, da Força Jovem do Vasco, diz que as bandeiras e os estandartes embelezam o espetáculo e o que dá a vitória a sua Torcida.
E nisso não existe nenhuma Torcida melhor do que a do Vasco. A cada jogo, entramos com uma novidade e saímos sempre com uma vitória sobre o Flamengo.
A respeito da violência nas arquibancadas, as duas Torcidas tem opiniões em comum, é coisa do passado.
“Esse negócio de briga entre Torcidas, não existe há mais de 10 anos. Hoje, os Chefes de Torcida do Vasco são adversários dos Chefes de Torcidas do Flamengo durante 90 minutos. Depois conversamos. Sou muito amigo, inclusive, de alguns Rubros Negros, “diz Ely.
Ricardo Muel é da mesma opinião e diz que quando há briga no Maracanã, ela é normalmente, provocada por torcedores avulsos.
As Torcidas Organizadas tem seus lugares fixos, mas o torcedor comum não.
Ele circula, quer ficar atrás do gol do adversário e isso que gera a briga.
E como se sente a Torcida derrotada. Hoje apenas uma das duas vai poder comemorar.
“Bom no dia a gente se sente triste e derrotado, mas logo se lembra que outros jogos virão e nós estaremos lá novamente para incentivar nosso Time e nos divertimos com a cara dos adversários”, completa Ely. 
Flamengo 1 x 0 Vasco, gol de Rondineli, Flamengo Campeão Carioca de 1978
Fonte: Jornal do Brasil de 03 de Dezembro de 1978

Força Jovem Jornal do Brasil 1978

Força Jovem Jornal do Brasil 1978

Força Jovem, Capoeira  Jornal do Brasil 1978

FORÇA JOVEM, TOV, RENOVASCÃO, PEQUENOS VASCAÍNOS, VASCANCELA, VASTELES 1978: TUDO E AINDA ALGO MAIS PELA VITÓRIA

Era início da década de 1940, e cansado de ver brigas e confusões entre torcedores. 
Jaime de Carvalho teve a ideia de organizar uma Torcida.
Em grupo, os torcedores poderiam curtir a alegria da chegada ao Estádio e garantir a própria segurança na saída. 
A Charanga do Flamengo estava fundada e a ideia parecia tão boa que torcedores de outros Clubes resolveram aproveitá-la. 
Os anos foram passando e cada Torcida tinha o seu próprio Chefe....
Dulce Rosalina era o símbolo da Torcida do Vasco.
Tarzan comandava o Botafogo, Paulista, o Fluminense e Elias Bauman, a Torcida do América.
Mas, com o futebol cresceram também as Torcidas. 
Comandar milhares de pessoas era uma tarefa desgastante para apenas uma pessoa.
Além disso, em lugar em que se forma um grupo, há sempre divergências de opiniões. Os torcedores sentiram necessidade de fundar novas Torcidas e assim foi feito.
No início, de preferência atrás do gol, começaram a aparecer as Torcidas Jovens.. 
Hoje são tantas Facções de Torcidas, que parece que cada rua do Rio tem uma Torcida Organizada. 
Mas se existem Torcidas que não tem nada a ver com a tradição dos Clubes, algumas tornaram-se tão fortes que já começaram a fazer parte da vida ativa do Clube.
Dentro delas, novos Líderes conseguiram destacar-se e até mesmo ofuscar a presença dos mais antigos....
Nas grades da arquibancada do Maracanã, os nomes de Torcidas se confundem.
O Flamengo conta com a Charanga, Flachopp, Flamor, Flamática, Flamante, Fladoze, Flacaé e Força Independente do Mengo.
O Vasco tem a TOV, Força Jovem, Renovascão, Pequenos Vascaínos e Vascancela.
No Botafogo, há a TOB, Jovem Unifogo, Fogo Lito, Show Fogo, Paracambi Fogo e Fogo Laço.
O Fluminense também tem a sua Organizada (TOF), Torcida Fiel Tricolor, Young Flu, Força Flu e Copa Flu.
Até o América, que dizem ter uma Torcida pequena, se divide em Torcida Organizada, Inferno Rubro, Belfort Duarte, Força Rubra e Brigada Rubra.
Ainda existem outras Facções de Torcidas, e enumerá-las seria perda de tempo. Algumas não conseguem durar nem um jogo, outras fundem-se com Facções mais poderosas.
As opiniões sobre o excesso de Torcidas se dividem, mas a maioria dos torcedores acha que deveria haver no máximo três Torcidas Organizadas em cada Clube....
Enquanto novos Líderes aparecem, velhos nomes foram desmitificados.
Não há um torcedor do Flamengo que freqüente o Maracanã, que não conheça a Verinha, da Flamor, e o Rui da Flachopp. Os dois e mais a Tia Helena, da Torcida Jovem, conseguiram, com novas idéias, se impor diante da chamada maior Torcida do Brasil......
Enquanto a imprensa faz campanha para o término dos palavrões nos Estádios, os novos Líderes de Torcida procuram um jeito de acabar com esse comportamento.
Com apenas 21 anos, o estudante de Direito Rogério Alves, um dos Chefes da Força Jovem do Vasco, é um dos que tem procurado terminar com os palavões em coro.
“Quando a minha Torcida começa a gritar palavrões eu mando parar a bateria. Sem o acompanhamento dela, o torcedor se intimida. Outra coisa que não permito dentro da minha Torcida é a contratação de músicos para tocar na bateria. Não admito que alguém ganhe dinheiro dentro da Torcida. Além disso, a maioria dos caras contratados quase sempre torce por outros Clubes. Na nossa Torcida cobramos mensalidades dos componentes. Sócio paga Cr$ 5,00 Cruzeiros e Diretor Cr$ 10,00. O dinheiro a gente coloca na caderneta de Poupança e só retira quando precisa comprar algum material.”
No Vasco tem uma Torcida que tem até ônibus próprio, é a Vasteles.
Um dos aspectos mais positivos do novo comportamento dos Chefes de Torcidas é a união entre eles. É comum em dia de Vasco x Flamengo, por exemplo, ver Verinha no lado da Torcida do Vasco, tomando cerveja com o Rogério Alves ou o Amâncio César Chefe da TOV e Professor Universitário.
Um das pessoas que mais colaboraram para que isso acontecesse foi o Russão, Chefe da TOB do Botafogo. Com seu jeito pessoal de se expressar e falando sempre com gírias, Russão brigou muito para poder chegar onde chegou. Hoje talvez seja ele o mais querido entre os Chefes de Torcida.....(Russão entrou no lugar de Tarzan em 1977)
A idade e a posição social não influi muito para os novos Chefes de Torcida. Aos 53 anos e mulher de Juiz de Direito Dona Helena Lacerda, a Chefe da Torcida  Fiel Tricolor, é incapaz de lavar um copo d’água em casa, mas passa o dia inteiro no Fluminense.....
Há Dirigentes de Clubes que convidam alguns Chefes de Torcidas para participar de reuniões de Diretoria, Dulce Rosalina até hoje tem problemas com a Torcida e com a Diretoria do Vasco, por ter participado, a época das eleições do Clube, da campanha eleitoral do candidato da oposição. Como este perdeu as eleições, Dulce ficou queimada.
Com 26 anos e no último ano de uma faculdade de Comunicação, Dario, Chefe de Torcida Inferno Rubro, do América, já foi até convidado para ser Diretor de Comunicações do Clube, mas não aceitou.....
Fonte: Jornal O Globo 03 de Agosto de 1978

Força Jovem Jornal O Globo 1978

Força Jovem Jornal O Globo 1978



sexta-feira, 26 de julho de 2013

IRA JOVEM 2013: CONVOCAÇÃO OFICIAL: VASCO X CRICIÚMA - SÁBADO

O G.R.E.S.T.O. IRA/+/JOVEM DO VASCO vem por meio de sua atual Diretoria, convocar todos os seus sócios, membros, componentes e simpatizantes a comparecerem em massa, Sábado, em São Januário, 27/07/13, às 18:30 horas, para o jogo  entre Vasco x Criciúma, válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro 2013. Concentração a partir das 12:00 horas (meio dia), no bar da IRA em frente da entrada social em São Januário.
Gostaríamos de salientar da importância do comparecimento de todos os nossos associados, devidamente uniformizados, visto que, teremos várias novidades, e temos a obrigação de impulsionar o Vasco da Gama, rumo a mais uma vitória e a conquista dos 3 pontos, pois temos total ciência da importância de mais uma vitória para dar seqüência esta fase boa. 
Vamos fazer a nossa parte ,todos PRETO todos de IRA /+/JOVEM DO VASCO. 
Fonte: Divulgação/Ira Jovem

Ira Jovem 2013

FORÇA JOVEM, GUERREIROS DO ALMIRANTE E UNIÃO VASCAÍNA 2013: CONVOCAM INTEGRANTES PARA VASCO X CRICIÚMA

FORÇA JOVEM: CONVOCAÇÃO OFICIAL: VASCO X CRICIÚMA - SÁBADO
O G.R.T.O. Força Jovem do Vasco vem por meio de sua atual Diretoria, convocar todos os seus sócios, membros, componentes e simpatizantes a comparecerem em massa, Sábado, em São Januário, 27/07/13, às 18:30 horas, para o jogo entre Vasco x Criciúma, válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro 2013. Concentração a partir das 12:00 horas (meio dia), no portão 19 de São Januário.
Gostaríamos de salientar da importância do comparecimento de todos os nossos associados, devidamente uniformizados, visto que, teremos várias novidades, e temos a obrigação de impulsionar o Vasco da Gama, rumo a mais uma vitória e a conquista dos 3 pontos, pois temos total ciência da importância de mais uma vitória para dar seqüência esta fase boa.
Novidades:
# vai haver para associados com carteirinha nova, um sorteio de uma camisa 43 anos da FJV no esquenta bateria, leve sua carteirinha que o sorteio será pelo número da mesma;
# Novidades na Sala da FJV em São Januário com novos atrativos para o associados;
# Super festa para recebermos de volta o nosso time em nossa casa após a Copa das Confederações.
Várias novidades para lotarmos São Januário, e fazer do nosso templo um "verdadeiro caldeirão", com mais uma festa inesquecível que só a FJV sabe fazer nas arquibancadas!
Lembrando mais uma vez que a FJV "veste branco", venha com a camisa branca retrô, que é a oficial da torcida, para que nossa padronização seja vista e que possamos continuar com o "Mar Branco" nas arquibancadas pelo Brasil.
Lugar da Vascaíno é Sábado em São Januário !
"O Sucesso começa a partir de cada um de nós ! "
- Diretoria do G.R.T.O. Força Jovem do Vasco -
"Juntos estamos reescrevendo a nossa brilhante história!"
http://www.forcajovem.com.br
Fonte: Site oficial da FJV 

GUERREIROS DO ALMIRANTE: CONVOCAÇÃO - VASCO X CRICIÚMA
Dia 27 teremos o jogo contra o Criciúma em São Januário, às 18h30min.
É o primeiro jogo na nossa casa, depois do intervalo para a Copa das Confederações.
Vamos fazer uma bela festa, e dar mais um show que nós do Movimento Guerreiros do Almirante damos por amor ao Vasco.
Não só estaremos voltando a ter um jogo na nossa casa, como também teremos novidades tantos no Vasco, como no GDA. Motivo de apoiar o Vasco já nos faz ir ao jogo, com novidades então, da até mais vontade ainda de se fazer presente.
Teremos a estréia de 4 barras verticais, cerca de 150 bandeirinhas, a estréia das camisas casuais (primeiro modelo), a banda tá sendo reformada e teremos todos instrumentos disponíveis para uso no jogo, inclusive 3 murgas, e teremos também os cachecóis ‘1898’ e ‘Sentimento’ disponíveis para venda.
Nossa festa na arquibancada contará com uma grande quantidade de papéis picados.
Pedimos inclusive para vocês picarem o máximo de papel que vocês puderem.
SÁBADO LEVEM OS CACHECÓIS DE VOCÊS. VAMOS FAZER UMA BELA FESTA ABRINDO OS CACHECÓIS DURANTE O JOGO.
CONTAMOS COM A PRESENÇA DE VOCÊS, GUERREIROS (AS)!
Informações sobre ingressos: Clique aqui.
SAUDAÇÕES VASCAÍNAS!
Fonte: Site oficial da GDA 

Força Jovem 2013

Guerreiros do Almirante 2013

União Vascaína 2013


FORÇA JOVEM 2013: CAMPANHA UMA KOMBI PARA FJV

E a campanha continua!
UMA KOMBI PARA FJV CARREGAR SEU MATERIAL!
Unidos em busca do patrimônio!
Diretoria do G.R.T.O.FORÇA JOVEM VASCO [OFICIAL]
http://www.forcajovem.com.br/

Força Jovem Campanha Uma Kombi para FJV 2013

quinta-feira, 25 de julho de 2013

TOV 1978: CHEGADA DE LEÃO, FANTONI E A TORCIDA NÃO SE ENTUSIAMAM

A contratação de Leão não foi recebida com entusiamo pelo Técnico Orlando Fantoni que, sem medo, disse que precisava de um ponta esquerda e não de um goleiro, e nem pela Torcida do Vasco, que embora reconheça que se trata de um grande goleiro, mostra-se preocupada como comportamento do jogador.
“O Leão tem fama de indisciplinado , disse secamente Amâncio César, Chefe da Torcida Organizada do Vasco.
Na verdade, segundo Amâncio, a Torcida queria que o Clube contratasse um ponta esquerda, como Fantoni e quando soube que se tratava de Leão, ficou surpresa.
Esperávamos o Ziza ou Joãozinho. O Leão é inegavelmente um grande reforço para o Vasco, mas se ele pensa que vai fazer o que fez algumas vezes no Palmeiras, está muito enganado. Pediremos sua volta para São Paulo.”
Amâncio disse ainda que a Torcida esta com muita pena de Mazaropi, atual titular que começou nos infantis do Clube.
“Nós acompanhamos a carreira do Mazaropi e aprendemos a gostar dele, pela sua calma, disciplina, tranqüilidade e carácter. O Mazaropi precisava de um bom reserva, não de um cara cheio de banca, pedante e mascarado para substituí-lo.
Por que o Leão? Pra que o Leão? É bom ele ficar sabendo que existe muita união entre os jogadores aqui no Vasco.
Ele que não ouse tentar quebrar essa união, senão faremos com que ele volte rápido.
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo 23 de Setembro de 1978

TOV Jornal O Estado de São Paulo 1978



FORÇA JOVEM E TOV 1978: VASCO X FLUMINENSE MUITOS PALAVRÕES

O que não mudou e parece não haver campanha capaz de alterar o velho hábito de se manifestar contra juízes, bandeirinhas e jogadores em coros de palavões.
Basicamente as reações das Torcidas são iguais.
No lado do Vasco, a Força Jovem e a TOV são os líderes de todos os movimentos coletivos, enquanto no do Fluminense a Força Flu se destaca.
As várias facções gritam incentivando seu time e xingando adversários da mesma forma, poucas encontram refrão novo. 
As mulheres porém,  principalmente as Vascaínas começam a se destacar pelo vocabulário pouco ortodoxo, pelo número de palavrões que dizem sem a menor preocupação em dissimular, é o palavrão atualmente não é motivo para provocar briga no Maracanã, já que especialmente entre os mais jovens, os casais participam dos coros com a maior naturalidade.
As diferenças entre as Torcidas são os nomes de suas facções, porque as alas são sempre semelhantes, há a dos mais fortes, que se unem para intimidar os adversários, há os comportados, que se juntam para ver os jogos, há as alas femininas, e há, como não poderiam deixar de existir, as alas gay (o Flamengo teve a Flagay) que apesar dos gritinhos também não deixam de contar em suas fileiras com troncudos rapazes que não levam desaforo para casa.
Fonte: Jornal do Brasil 25 de Novembro de 1978.


Força Jovem e TOV Jornal do Brasil 1978

Flagay Jornal do Brasil 1979

Flagay Jornal do Brasil 1980


quarta-feira, 24 de julho de 2013

FORÇA JOVEM 1978: TORCIDA QUER BOICOTAR O VASCO AMANHÃ

Os Chefes das principais Torcidas do Vasco, prometem um verdadeiro boicote ao time, no jogo como Botafogo, os dirigentes demonstraram irritação com a má campanha e os jogadores reconhecem que ainda há muito o que fazer para disputarem o segundo turno.
Ely Mendes, Chefe da Força Jovem, é o principal líder do movimento de boicote ao time, afirma mesmo que já conversou com os companheiros pedindo que esqueçam a partida de amanhã.
Ele pretende estender o protesto com a adesão de outros Chefes de Torcidas, que certamente o apoiarão.
Nem faixas, segundo Ely, devem ser levadas ao Maracanã.
Fonte: Jornal do Brasil 13 de Outubro de 1978

Força Jovem Jornal do Brasil 1978



TOV 1978: HOMENAGEM NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

A ação de um provocador, desconhecido dos jovens manifestantes que ontem foram a Assembléia Legislativa pedir anistia geral, ampla e irrestrita e o fim das prisões políticas, ia gerando violência no ato público....
A Polícia Militar cercou o prédio da Assembléia e só permitiu que ficasse na escadaria umas 30 crianças da Torcida Organizada do Vasco (o Clube foi homenageado na Assembléia)...
O que mais chamou a atenção para as faixas que os manifestantes tinham colocado nas sacadas, foi a agitação de bandeiras do Vasco na escadaria da Assembléia. Sem serem molestados pelos PMs, umas 30 crianças da Torcida Organizada, vestidas de preto e empunhando bandeiras Vascaínas eram os únicos ocupantes da escadaria.
Fonte: Jornal do Brasil 03 de Agosto de 1978

TOV Jornal do Brasil 1978

TOV Jornal do Brasil 1978

terça-feira, 23 de julho de 2013

FEMININA CAMISA 12 1978: VASCO X LONDRINA SEGURANÇA DA TORCIDA DEPENDE DE AGATHYRNO

Mais de 100 policiais garantirão a tranqüilidade dentro e fora de São Januário, cuidarão da eficiência do esquema de transito, da formação das filas nas 31 bilheterias e evitarão confrontos de torcedores fora do Estádio, mas a integridade da Torcida Paranaense, que promete vir de ônibus e até de avião, depois de passar pelos portões depende do Presidente Agathyrno Gomes aprovar...
As ameaças são tantas que Iara Barros, Líder da Torcida Feminina Camisa 12 telefonou ontem pela manhã ao superintendente Armando Abreu, a pedido de dois chefes da Torcida do Londrina hospedados em sua casa, para saber quais as garantias dadas aos Paranaenses.
“Lá nos queimaram as bandeiras. Aqui queremos dar apenas uma pequena amostra da força Vascaína, “ disse Pedro Lúcio, que prefere não se ligar a nenhum grupo de Torcida Organizada para evitar inimizades.
Pedrinho, como é conhecido no Clube, esteve em Londrina e acompanha o Time a quase todas as excursões.
“Estes Paranaenses que estão hospedados aqui no Rio são camaradas, ficaram do nosso lado quando fomos cercados e ameaçados por paus e pedras em Londrina.
Fonte: Jornal do Brasil 18 de Fevereiro de 1978.

Feminina Camisa 12 Jornal do Brasil 1978

Feminina Camisa 12 1977
Vasco x Londrina O Globo 1978
Força Jovem Vasco x Londrina bloglondrinense 1978

Força Jovem Vasco x Londrina  bloglondrinense1978

TOV Vasco x Londrina 1978
Vasco x Londrina O Globo 1978

FORÇA JOVEM E VASCARAÍ 1978: BANDEIRA GIGANTESCA E CARAVANA

O coletivo de ontem, porem foi o suficiente para entusiasmar a Torcida que a saída, prometia uma grande festa na estréia do Vasco nesta fase final do Nacional.
A Força Jovem chefiada por Ely Mendes, anunciava a confecção de uma gigantesca bandeira, além de 100 novos estandartes e a Vascaraí distribuía folhetos de convocação para sua caravana, que parte da Praça XV para o Maracanã.
Fonte: Jornal do Brasil 26 de Janeiro de 1978.

Força Jovem e Vascaraí Jornal do Brasil 1978



segunda-feira, 22 de julho de 2013

VASPAVUNA 1977: BANDA COM UNIFORME DIFERENTE

Nas arquibancadas a Torcida procurava incentivar o Vasco.
Enquanto a maioria usava um ritmo forte de batucada, a Vaspavuna lançava sua Banda de senhores, com uniforme diferente, calça azul e camisa branca de mangas compridas, sem nada de preto e branco. 
Todos tocavam e gritavam, mas nem isso animou o jogo.
Fonte: Jornal do Brasil 28 de Novembro de 1977.

Vaspavuna Jornal do Brasil 1977

Vaspavuna Maracanã 1980

Vaspavuna 1982


FORÇA JOVEM 1977: VASCO X FLAMENGO É GUERRA

Revólver, faca, gilete. 
Cenas de tamanha pancadaria não chegam a ser comuns nos campos de futebol do Brasil, mas a violência costuma aumentar nessa época do ano, quando os Campeonatos regionais vão chegando ao final.
Por isso, há cada vez mais polícia assistindo o jogo de futebol no País.
Afinal desde a década de 1940, quando o Uruguaio Ondino Vieira, definiu os campeonatos regionais brasileiros como autênticas guerras, jogadores e torcedores vêm mantendo elevado o índice de violência nos Estádios.
No último Vasco x Flamengo, na quarta feira passada, no Rio de Janeiro, a Polícia aprendeu dois revolveres e mais de 300 armas brancas, de facas a giletes, na prática revista as portas do Maracanã.
Por mais numeroso que seja o policiamento, porém, é impossível uma fiscalização completa nos dias de grandes jogos.
“Se a gente parar cada torcedor para uma revista, o jogo começa no dia seguinte”, explica um Tenente da Polícia Militar do Rio.
Além disso, a fiscalização a porta do Estádio é apenas um dos detalhes do trabalho da Polícia. 
O ideal, acreditam alguns policiais Cariocas, seria proibir a venda de bebidas alcoólicas dentro do Estádio.
Ely Mendes, Chefe da Força Jovem, acha que não adiantaria.
“É que o torcedor já chega ao Estádio mamado”, comenta. 
As Torcidas Organizadas, cujos gritos, coros e bandeiras costumam agitar os Estádios, nem sempre são as mais agressivas, pois costumam operar em acordo com a Polícia, que lhes reserva lugar na arquibancada e oferece proteção. 
No Rio, a administração do Maracanã, mantem uma Sala, sob as arquibancadas, exclusivamente para as Torcidas guardarem suas faixas e bandeiras. Ultimamente, contudo o pessoal da segurança do Estádio notou que muitas Torcidas, trocaram a vara de bambu que sustenta as bandeiras por bastão, que pode se tornar uma arma bastante perigosa.

Força Jovem 1977

Força Jovem 1989

Força Jovem 1989