sexta-feira, 28 de junho de 2019

FORÇA JOVEM 1997: A GRANDEZA DA FORÇA JOVEM

Fundada em Fevereiro de 1970, A Força Jovem é a maior Torcida Independente do Brasil. Independente porque é a única facção organizada que não precisa de ajuda do Clube para crescer, E a sua grandeza impressiona.
Composta por cerca de 45 mil torcedores (25 mil no Rio), ela organiza uma grande festa para o domingo. Material para isso não é problema, serão 12 faixas, dezenas de bandeiras, 90 peças de bateria, 120 latas de fumaça, 80 sinalizadores, um bandeirão, milhares de balões infláveis e uma novidade misteriosa.
A Força Jovem é dividida em 59 Famílias. A maior delas é a 4ª Família, que inclui Madureira, Pavuna e outros bairros, além de São João de Meriti e Nova Iguaçu. Para o clássico, a concentração será em São Januário, a partir de meio dia. De lá, os torcedores seguirão em trinta ônibus já alugados
Um dos dirigentes mais atuantes da Força é o comerciante Bem-Hur Duarte, 33 anos, que se apressa em negar a fama de que a Torcida é violenta. “Temos uma equipe de vigilância para evitar brigas. Odiamos covardia e jamais partimos para cima de povão. Quem tem o hábito de fazer isso é o pessoal do Flamengo, “alfinete Ben-Hur.
As Torcidas do Palmeiras, Atlético MG, Coritiba e Grêmio são consideradas amigas.
No início desse ano a Força Jovem recebeu um presente do Grupo de heavy metal Iron Maiden, já que Eddie. O monstruoso mascote do grupo inglês, é o símbolo da facção. Uma forma de agradecer aos torcedores por divulga-los. O presente? Um pequeno troféu em forma de cadeira elétrica.
Fonte: Jornal dos Sports 1997

Força Jovem Jornal dos Sports 1997

Força Jovem Jornal dos Sports 1997



quarta-feira, 26 de junho de 2019

TOV 1969: FUTEBOL A NOVA PAIXÃO DAS MULHERES

D. Dulce Rosalina tem orgulho de chefiar a Torcida de um dos maiores clubes do Brasil e a segunda do Rio.: a do Vasco da Gama.
Sob o seu comando, as bandeiras cruzmaltinas são agitadas, as charangas tocam e as vozes gritam ou silenciam.
Por causa do Vasco que ama e de sua responsabilidade de Líder, sofreu um acidente de ônibus no ano passado, quando ia atrás do seu time para um jogo em São Paulo.
Os Vascaínos que ficaram no Rio, contentando-se em acompanhar a partida pelo rádio e TV, choraram quando as notícias não confirmadas davam Dulce e outros torcedores como mortos no desastre. Na verdade o acidente não teve proporções graves, mas ela ficou durante muitos meses afastada dos campos de futebol.
Fonte: Revista Manchete 1969

TOV Revista Manchete 1969

TOV Revista Manchete 1969

TOV Dulce Rosalina Revista Manchete 1969

segunda-feira, 24 de junho de 2019

TORCIDA DO VASCO 1934: UM APELO DE POLAR A PLEBE E A TORCIDA DO VASCO

Polar, o bacharel da publicidade, que vem trabalhando valentemente ao lado da candidatura Sylvio Caldas, pediu-nos, ontem, tornássemos público o seguinte apelo.
- A plebe, e ao meu povo Vascaíno eu lanço o meu veemente apelo para que cerrem fileiras ao lado de Sylvio Caldas, sócio do Vasco da Gama, o “Caboclinho”, poeta da voz e embaixador do samba, no grande certame para a escolha do Melhor Artista da rádio Nacional.
Esse apelo diz respeito também com a Princesinha do Samba, Lola Silva, Estrela do Rádio infantil que se mantem no primeiro lugar entre os concorrentes infantis ao grande Concurso.
Faço público, ainda, que Lola Silva presará o Concurso a qualquer festival artístico, visando a conquista de votos para sua candidatura.
Sylvio Caldas empolgou o povo de São Cristóvão, Riachuelo e Campo Grande.
E a “Princesinha do Samba” empolgou o coração do povo, de quantos tem ouvido sua voz através do microfone.
Todos os votos poderão ser remetidos para minha residência, a Rua Gonçalves Dias 74, 2º andar no Méier.
Fonte: Jornal Gazeta de Notícias 16 de Dezembro de 1934

Vasco Jornal Gazeta de Notícias 1934

Vasco Polar Jornal O Radical 1935



sexta-feira, 21 de junho de 2019

MOTIVASCÃO 1981: NOVOS ASSOCIADOS

Retorno ao Bate Bola, desta feita para comunicar aos Vascaínos que a Motivascão está de volta para aquele incentivo ao mais querido Vasco da Gama. Na oportunidade comunicamos que continua abrangendo o nosso quadro social, onde estamos admitindo novos associados no seguinte endereço:
A)   Rua das Turquesas, nº 278 Rocha Miranda, falar com Fernando..
Se você está interessado a compartilhar conosco, basta nos procurar com os seguintes dados:
B)   Duas fotos 3x4 (nome e endereço completos) e mais a quantia de Cr$ 100,00 (cem cruzeiros)
Comunicamos que nossas camisas já estão sendo vendidas no mesmo endereço (Sede)
Carlos César, Rocha Miranda, Rio
Fonte: Jornal dos Sports, Coluna Bola em Jogo, 30 de Agosto de 1981


Motivascão Jornal dos Sports 1981

Motivascão Jornal dos Sports 1981

Torcida do Vasco Maracanã 1981

quarta-feira, 19 de junho de 2019

FORÇA JOVEM 1986: VASCO X CORINTHIANS

Fonte: http://juhatamminen.photoshelter.com
Fotos: Juha Tamminen

Força Jovem São Januário foto Juha Tamminen 1986

Força Jovem São Januário foto Juha Tamminen 1986

Força Jovem São Januário foto Juha Tamminen 1986

Força Jovem São Januário foto Juha Tamminen 1986

Força Jovem Jornal O Globo 1986

segunda-feira, 17 de junho de 2019

TOV 1947: VASCO CAMPEÃO CARIOCA INVICTO

Torcida invade o gramado de São Januário para comemorar o Campeonato invicto depois do empate de 0 a 0 com o Botafogo, Vasco foi Campeão com duas rodadas de antecedência.

TOV Jornal A Noite 1947

TOV Jornal A Noite 1947

TOV Jornal O Globo Esportivo 1947

TOV Jornal O Globo Esportivo 1947

sexta-feira, 14 de junho de 2019

FORÇA JOVEM 1989: FORÇA JOVEM NA FINAL DA COPA AMERICA DE 1989

A Força Jovem do Vasco estava presente, em peso, num Maracanã lotado com mais de 130 mil pessoas, o Brasil venceu o Uruguai, pelo placar de 1 a 0, com um gol de Romário. Arquibancada estava verde e amarela/branca e preta, com a Torcida do Vasco.
Não podíamos deixar o Brasil “na mão" e principalmente os nossos inimigos sem sentirem medo.
Eu estava lá, há 30 anos atrás.
Delcio Índio.

Força Jovem Maracanã 1989

Força Jovem Maracanã 1989

Força Jovem Maracanã 1989

Força Jovem Maracanã 1989


quarta-feira, 12 de junho de 2019

TORCIDA DO VASCO 1934: TORCIDA DIVIDIDA

OS TORCEDORES DO VASCO QUERIAM MARQUES E NÃO REY
Quando o Keeper Rey entrou em campo, ontem, o que fazia pela primeira vez para defender as cores cruzmaltina depois das ocorrências referentes a organização do scratch brasileiro, foi recebido por uma intensa vaia, partida das gerais e arquibancadas. 
Em protesto daqueles que julgavam desacertada sua aceitação no seio vascaíno. Do outro lado do campo, na parte Social outros adeptos do Vasco procuravam abafar as vaias com aplausos. 
Durante o jogo, o lado que pteara Rey, sempre que ele pegava a bola, repetia as vaias. Damos mo clichê um aspecto dos assistentes que reprovaram a inclusão de Rey, vendo-se entre eles um letreiro com o nome de Marques, o outro guardião dos camisa pretas que tão bem se vinha conduzindo no posto em que atuar com carácter interino.

Torcida do Vasco 1934

Torcida do Vasco 1934




domingo, 9 de junho de 2019

RENOVASCÃO 2000: SAUDADES DA FESTA

Houve uma época em que era possível ir ao Maracanã sem estar preocupado com a violência. Os bares da Rua São Francisco Xavier eram ponto de encontros de torcedores fanáticos de Vasco, Flamengo, Fluminense e Botafogo.
Os bons tempos ainda são lembrados com carinho por ilustres torcedores da velha guarda, fundadores de grandes Torcidas Organizadas, como Dulce Rosalina Ponce de Leon, primeira mulher Chefe de Torcida do Vasco, o inspetor de Polícia Civil Cláudio Cruz, 43 anos, fundador da Raça, João da Silva Faria, o Russão da Folgada do Botafogo e Tia Helena Lacerda, 75, fundadora da Fiel Tricolor do Fluminense.
Num encontro promovido pelo Jornal do Brasil, em frente ao Maracanã, o grupo lembrava dos velhos tempos com saudades. “Não havia briga. Minha Sala era freqüentada por todos os torcedores”, lembrou Helena Lacerda. Apesar das gozações, o respeito era a base dos organizadores de Torcida. “Prova disso é que não havia divisão de territórios no Estádio. Todos saíam e entravam pelos mesmos portões. O que valia era a encarnação no fim de cada partida”, conta Cláudio Cruz, que deixou a Raça por conta da violência. “Há dez anos. Previ que a Torcida mais forte era a que portasse o maior calibre”, criticou ele.
Na febre de saudosismo, Russão fez questão de ressaltar que os concursos entre as Torcidas era uma forma de integrar os componentes, “Era super saudável. Em vez de briga, estávamos empenhados em fazer as maiores bandeiras e gritar mais alto”, diz ele. Ainda freqüentadores assíduos do Maracanã, a velha guarda das Torcidas Organizadas faz um apelo aos torcedores. “Não podemos estragar o espetáculo. “Chega de briga”, pede a ilustre Vascaína Dulce Rosalina. Como numa tabelinha de conscientização e amor ao futebol, Tia Helena emendou. “Amamos o futebol. “Vamos brilhar fazendo a festa também fora de campo.”
Fonte: Jornal do Brasil 05 de Novembro de 2000

Renovascão Jornal do Brasil 2000

Renovascão Dulce Rosaliua Jornal do Brasil 2000


quinta-feira, 6 de junho de 2019

FORÇA JOVEM 1991: RECADO DA 7ª FAMÍLIA NITERÓI

Coluna Bate Bola, Jornal dos Sports
Para quem não sabe, a Torcida Organizada Força Jovem do Vasco foi dividida em regiões (Família), e cada uma deles terá um componente (Líder da Família) que será como um eixo de ligação da Diretoria com a galera. 
Promovemos reuniões, festas, encontros para jogos e outras atividades esportivas. 
O componente interessado em saber algo mais sobre a Força Jovem, é só procurar os frequentadores mais assíduos da Torcida, de sua região, e comparecerem aos jogos do Vasco nos Estádios. 
Que toda a galera da FJV receba um forte abraço. 
“Vasco por Amor, Força Jovem por Ideal”.
Caico Niterói


Força Jovem Jornal dos Sports 1991

Força Jovem Sala de São Januário 1991

Força Jovem Sala de São Januário 1991

segunda-feira, 3 de junho de 2019

ALMIRANTE DA COLINA 1980: FAIXA DE APOIO LEVI LAFETÁ

No clássico Vasco 3 x 3 Fluminense, a Torcida Almirante da Colina, exibiu no Estádio Mário Filho a faixa Levi Lafetá 82. 
Na quarta-feira, no jogo com o Americano, a turma da Almirante da Colina quis mas não pode homenagear o advogado. 
E no domingo passado, quando a moçada tornou a abrir a faixa no Estádio Mário Filho, uma ordem do túnel do Vasco partiu para que ela fosse guardada, como de fato aconteceu. Curioso é que Levi Lafetá é Vascaíno e frequenta o Clube.
Fonte: Jornal dos Sports 04 de Dezembro de 1980


Almirante da Colina 1980 Jornal dos Sports 1980

Vasco Levi Lafetá e Guina 1979