sexta-feira, 31 de outubro de 2014

VASCO 1973: CAMPEONATO CARIOCA DE AUTOBOL

Autobol é um tipo de esporte coletivo disputado por alguns clubes do Rio de Janeiro durante a década de 1970 (1973 a 1976). Foi o médico Mário Marques Tourinho, quem teve a ideia e a iniciativa. Na época o médico era diretor do serviço médico do América Football Club e também médico da Associação Carioca de Volantes de Competição. No final da década de 1960 Tourinho, fã de futebol e automobilismo, teve então a ideia de juntar as duas coisas.
Equipes de América, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco foram formadas e disputaram o Campeonato Carioca de Autobol, e alguns jogos de autobol tiveram a sua bilheteria esgotada, tendo assim em alguns casos mais torcedores que os jogos de futebol. A maior parte dos jogos foi disputada no campo do América, cujo gramado estava destruído e aguardava reforma, e também no Campo do Colégio Santo Inácio.
O objetivo do jogo era acertar uma bola de 1,20 metro e 12 quilos em traves oficiais de futebol. O veículo mais usado era o Dauphine que, além de barato tinha a vantagem do câmbio de três marchas, com a ré e a primeira no mesmo canal, o que facilitava as necessárias e sucessivas manobras.
Com a crise do petróleo a competições automobilísticas no Brasil foram severamente prejudicadas, sendo o autobol proibido. Por isso, o esporte deixou de ser praticado.

Campeão de 1973: Fluminense
Campeão de 1974: Botafogo
Campeão de 1975: Flamengo

Vasco Autobol Correio da Manhã 1973

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Flamengo 1973

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x América 1973

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Botafogo 1974

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Fluminense 1974

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Flamengo 1974

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Flamengo 1974

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Flamengo 1974

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x América 1975

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x América 1975

Vasco Autobol Jornal O Globo Vasco x Fluminense 1976

Vasco Autobol Netvasco Vasco x Flamengo e Vasco x Fluminense 1976



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

VASCOCOTA 1976: HISTÓRIA

Torcida do Bairro de Vista Alegre, foi fundada em 04 de Abril de 1976 e acabou na década de 1980, tendo como Chefes Marcelo Moura de Oliveira e Edvaldo Mello Barbetto. 
“ O Cocota, das calças cocota e não Cocotá, da Ilha do Governador!” Disse Angela Matias Baptista.
"Fiquei feliz e muito emocionado em ver citado nome da Torcida Vascocota, Torcida fundada em 1976 pela minha família, na época tinha 1 ano de idade. Hoje tenho 36 anos, casado, guardo algumas bandeiras e meu pequeno uniforme do período. Meu melhor legado, Vascaíno até no céu. Hoje represento Força Jovem 6ª Família, Vila da Penha. Poucas pessoas sabem meu nome, pois sou conhecido como Fala Vascaíno".
Ass. Alessandro Saraiva, o Vascaíno , 30 de Janeiro de 2012.

Vascocota São Januário 1978

Vascocota Maracanã 1978

Vascocota

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 1972: FORÇA JOVEM RECEBE TOSTÃO NO AEROPORTO

As 11 horas, o Aeroporto Santos Dumont já tinha mais movimento que o normal. 
Muita gente foi cedo para garantir uma vaga próxima ao portão de entrada.
Caminhões de vários supermercados chegavam trazendo torcedores, fanfarras e bandeiras. E durante uma hora houve ensaio no Aeroporto.
As 12h30m, chegaram sete caminhões com os componentes da Força Jovem, as maiores bandeiras, novas charangas e não sobrou espaço dentro do Aeroporto que parou. 
Parecia um Estádio de futebol com bandeiras agitadas e Torcida Organizada:
“Olê, olâ, Vasco da Gama está botando pra quebrar”, “Se a canoa não virar, olé, olé, olâ, eu chego lá”, “Casaca, casaca, casaca, a turma é boa, é mesmo da fuzarca, Vasco, Vasco...”
As 13h30m, um avião de carreira chegou. A Torcida agitou-se, houve um princípio de correria e começaram os gritos: Tostão. Tostão, Tostão”. Os passageiros recém chegados foram obrigados a passar pelo cordão de isolamento preparado para receber o jogador, vinte e um homens vaiados estrepitosamente. Uma mulher, aplaudida pela multidão.
As 14 horas, um táxi aéreo, bimotor, passou junto a estação de passageiros ....
Novo engano. O pequeno avião foi vaiado. Ai houve uma tentativa de organização. Ely Mendes, Chefe da Força Jovem, foi ao balcão da Líder e confirmou o horário de chegada de Tostão. 14h10m. Faltavam 10 minutos, as serpentinas foram distribuídas, as charangas movimentadas e a multidão mais comprimida ainda pela chegada de nova leva de torcedores.
Várias faixas se abriram. Uma delas: “A Guanabara agradece ao Vasco por ter trazido Tostão”...
As 14h45m, começou a batalha de serpentinas e papéis picados. 
Os torcedores impacientaram-se com a espera.
“Olha a hora, olha a hora”.
Finalmente o jatinho da Líder sobrevoou o Aeroporto. 
Várias bandas e charangas entraram em ação ao mesmo tempo.
Começou o empurra empurra, muito comum no Maracanã. E o jatinho pousou. A portinhola abriu e surgiu Tostão. Tudo o que foi ensaiado acabou sendo esquecido: a multidão silenciou, quis chegar mais perto, a polícia não deixou, os cassetetes no ar e nas pessoas. Torcedores empilhados sobre os bancos desabaram sobre a multidão. Só depois de alguns minutos voltaram os gritos e os bumbos:
“Tostão, Tostão, Tostão.”
Fonte: Jornal O Globo 13 de Abril de 1972

Força Jovem Jornal O Globo 1972

Força Jovem Revista Veja 1972

Força Jovem Jornal do Brasil 1972

Força Jovem Jornal do Brasil 1972

Força Jovem Jornal O Globo 1972

Força Jovem Jornal O Globo 1972

Força Jovem Jornal O Globo 1972

terça-feira, 28 de outubro de 2014

TORCIDA DO VASCO 1938: CONCURSO EMBAIXADORES DA TORCIDA BRASILEIRA NO CAMPEONATO DO MUNDO

Leonor Silva, a graciosa Rainha do Vasco da Gama, já esta com sua candidatura lançada no Grande Concurso que O Globo e o Jornal dos Sports estão realizando, para a escolha do Embaixador e da Embaixatriz da Torcida Brasileira no Campeonato do Mundo.
Ninguém pode negar os predicados da jovem e linda sportwoman e daí a boa escolha que teve o seu nome para representar o grêmio Vascaíno no certame.
Leonor Silva será uma das mais sérias candidatas ao título de Embaixatriz, porque conta com o apoio da grande Torcida Vascaína.

UMA SURPRESA AGRADÁVEL
O repórter do O Globo procurou, hoje, a concorrente Vascaína, em sua residência, para ouvir suas impressões sobre o Concurso, que está empolgando a cidade. Leonor recebeu o repórter com a gentileza habitual e falou.
“Foi uma surpresa agradável lançarem o meu nome como candidata do Vasco. O concurso será renhido, mas conto com a vitória, porque o Vasco nunca perde nos concursos. Basta que cada Vascaíno apresente um voto por dia para a sua Rainha, e estarei bem colocada no Concurso. No caso de vencer o certame, serei uma torcedora entusiasta das cores brasileiras nos campos de Paris.”
E quem será o seu cabo eleitoral?
“O Chefe é meu pai. Mas eu considero cada sócio do meu Club, como um cabo e assim terei muitos votos. A Rainha precisa dos seus súditos.”

POLAR CANDIDATO DO POVO
Affonso Silva, o Polar, também é candidato ao título de Embaixador.
“Eu também serei candidato ao título de Embaixador diz ele inicialmente. Tenho prestado serviços ao meu Club e aos jogadores, quando se realiza qualquer Concurso e agora chegou a minha vez de pedir votos. O Concurso exige um torcedor renitente, e que faça vibrar as multidões. Eu considero-me dentro das exigências pedidas pelo regulamento. Procurarei elevar bem alto o nome de meu país nos gramados da França, e caso derrote os meus adversários, procurarei o senhor Prefeito da Cidade, para que faça-me oferta de uma bandeira brasileira, afim de que eu possa desdobra-la nas arquibancadas parisienses. Eu confio na vitória da minha candidatura, porque serei o candidato do povo. Faço por intermédio do Globo, um apelo aos torcedores e associados do Vasco, para que levem votos ao Estádio na noite de sábado, quando será realizado o jogo Flamengo e vasco.
Fonte: Jornal O Globo 11 de Fevereiro de 1938

OS VENCEDORES
O ganhador do Embaixador foi Oswaldo Meneses que levou seu irmão como acompanhante e a Embaixatriz escolhida foi a Vascaína Leonor Silva que levou como acompanhante o também Vascaíno Affonso da Silva, o Polar.

Vasco Polar Jornal O Globo 1938

Vasco Polar Jornal O Globo 1938

Vasco Polar Jornal O Globo 1938

Vasco Polar Jornal O Globo 1938

Vasco Leonor Silva e Polar Jornal dos Sports 1936

Vasco Leonor Silva Jornal dos Sports 1936

Vasco Jornal do Sports 1976

Vasco Jornal do Sports 1976

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

VASCO 1928: AMISTOSOS

AMISTOSO INTERESTADUAL
Vasco 3 x 5 Portuguesa Santista (SP)
Data: 04 de Março de 1928
Local: São Januário

Vasco x Portuguesa Santista Jornal O Malho 1928

1º AMISTOSO INTERCONTINENTAL
Vasco 1 x 1 Sporting de Portugal 
Data: 22 de Julho de 1928
Local: São Januário

Vasco x Sporting de Portugal Jornal O Malho 1928

domingo, 26 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM E MANCHA NEGRA 1999: FORÇA JOVEM X MANCHA NEGRA

Antes da partida que o Vasco goleou o Madureira por 8 x 1, as Torcidas Organizadas Força Jovem e Mancha Negra do Vasco, brigaram nas arquibancadas, exigindo a presença do policiamento.
A Mancha Negra é uma dissidência recente da FJV e seus integrantes queriam vingar a agressão da facção rival a José Pedro dos Santos, 29 anos, torcedor conhecido por Mister M.
Fonte: Jornal do Brasil 20 de Maio de 1999

Força Jovem e Mancha Negra Jornal do Brasil 1999

Força Jovem e Mancha Negra São Januário 1999

Força Jovem e Mancha Negra São Januário 1999

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

GUERREIROS DO ALMIRANTE 2014: PAPÉIS PICADOS

Como as festas pirotécnicas estão proibidas aqui no RJ, vamos nos reunir pra picotar papel e fazer a melhor festa em São Januário neste ano
O GEPE já autorizou a entrada de qualquer torcedor com saco cheio de papéis picados, não será preciso entrar junto com o material do GDA antes do jogo, porém seria de grande ajuda se a galera entrasse cedo nesse jogo, papo de uma hora antes, com Isso poderíamos até formar um aquecimento ali no túnel ou já no nosso espaço atrás do gol.

Guerreiros do Almirante 2014

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 2001: TORCIDA VIAJA AO URUGUAI

A Força Jovem viajou ao Uruguai para o jogo entre Penarol x Vasco pela Taça Libertadores da América.

Força Jovem Rumo ao Uruguai 2001

Força Jovem Rumo ao Uruguai 2001

Força Jovem Rumo ao Uruguai 2001



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 2014: 1º ENCONTRO DO TREM BALA DA COLINA

Aconteceu no dia 18 de Outubro o 1º Encontro do Trem Bala da Colina de Itaperuna.

Força Jovem 1ª Encontro do Trem Bala da Colina Itaperuna 2014

terça-feira, 21 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 2001: VASCO X FLAMENGO BONDE DA FJV

Um grande bonde da FJV que veio de São Januário para incentivar o Vasco contra o Flamengo.

Força Jovem 2001

Força Jovem 2001

Força Jovem 2001

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 2001: VASCO E FORÇA JOVEM CONTRA TUDO E CONTRA TODOS

Vasco da Gama é o Clube mais ousado da história do futebol Brasileiro. Ousou nos anos 20 do século passado, enfrentar o racismo que impedia negros e pobres de jogarem futebol. Ousou também nessa época, construiu o seu Estádio sem receber um tostão do Governo. Ousou quebrar um tabu quando ganhou o primeiro Título de uma equipe Brasileira em gramados estrangeiros (Campeão Sul-Americano invicto de 1948). 
Hoje, mais de 100 anos depois da Fundação, o Vasco continua ousado e enfrenta uma poderosa máquina que tenta, a todo custo, dominar o futebol Nacional. Como em todas as outra batalhas, nessa também o Vasco sairá vitorioso. 
A Força Jovem estará na linha de frente para garantir que o nosso Clube, para amargura e desespero dos nossos adversários, continue sendo o maior Clube do Futebol do Mundo.
Fonte: Jornal da Força Jovem 2001.

Força Jovem Jornal da FJV 2001



domingo, 19 de outubro de 2014

FORÇA JOVEM 2000: UH É CHOCOLATE VASCO 5 X 1 FLAMENGO

Final da Taça Guanabara de 2000, O Vasco aplica uma goleada histórica, Eurico prometeu distribuir muitos ovos de chocolate já que o jogo era num Domingo de Páscoa, sabendo que o Vasco ia dar um Chocolate no Flamengo. Gols: Romário (3), Felipe, Pedrinho.

Força Jovem Vasco 5 x 1 Flamengo 2000

Força Jovem Vasco 5 x 1 Flamengo 2000

Força Jovem Vasco 5 x 1 Flamengo 2000

Força Jovem Vasco 5 x 1 Flamengo 2000
Força Jovem Vasco 5 x 1 Flamengo 2000


sábado, 18 de outubro de 2014

RENOVASCÃO E TOV 1999: TESTEMUNHAS DA HISTÓRIA

Consolo foi que o Rei disse que era Vasco de coração.
Torcedora símbolo do Vasco de 65 anos,foi ao Maracanã há exatos 30 anos para ver o goleiro Andrada brilhar e evitar a festa de Pelé.
Mas Dulce não resistiu ao encanto do maior jogador do mundo e aplaudiu o milésimo gol do Rei.
“Não íamos brigar com o Pelé, porque ele já havia dito que era torcedor do Vasco de coração”, diz.
Antes do camisa 10 cobrar a penalidade. Dulce conta que rezou para a bola fosse para fora.
“Claro que eu não queria o gol, mas depois comemorei”.
Ao contrário de outros torcedores que estivem no Maracanã na noite daquela quarta feira, Dulce afirma que toda a Torcida do Vasco reverenciou o craque após a cobrança.
“Era aquela emoção por causa dos mil gols e nós batemos palmas.”
Há 43 anos acompanhando os jogos do Vasco, em 1969 Dulce integrava a Torcida Organizada do Vasco (TOV), a mais antiga e festiva do Clube.
Segundo ela, o jogo com o Santos parecia não ter nenhuma relação com a disputa da Taça de Prata e só valer mesmo porque todos esperavam que Pelé fizesse o gol.
“Era um clima diferente, de alegria, e a paixão pelo Clube não falava mais alto”.
A Vascaína conta que o es Presidente do Clube, Antônio Reis mandou preparar duas camisas para comemorar o feito de Pelé.
Tínhamos uma camisa do Vasco que ele ia usar se o Santos perdesse a partida”, revela. “E aquela outra com o número 1000 nas costas, a que Pelé vestiu”.
Dulce acredita que o santista tenha evitado fazer o gol em partidas anteriores para marcar o milésimo no Maracanã.
“Foram uns dois ou três jogos na expectativa”, recorda, os jogadores do Vasco cercaram-no para reclamar.
“Mas foi pênalti, sim, ele foi derrubado”, reconhece.
A partida tornou-se marcante para Dulce porque foi disputada quando ela passava por uma situação delicada. Um ano antes, a aposentada quase perdera o braço em um acidente automobilístico, a caminho de um jogo entre Vasco e Corinthians, em São Paulo.
“Naquela ocasião, eu estava começando a ir ao Estádio novamente.”
Para ela, o gol de Pelé, mesmo contra o seu time, foi o que a motivou a voltar a acompanhar jogos de futebol.
Fonte: Jornal Estado de São Paulo 19 de Novembro de 1999   

Vasco x Santos 1000 Gol de Pelé 1969

Renovascão e TOV Jornal O Estado de São Paulo 1999