quarta-feira, 30 de setembro de 2015

TORCIDA DO VASCO 1941: COMO FICARÃO ALOJADOS NO ESTÁDIO DO FLUMINENSE OS FÃS CRUZMALTINOS

Prepara-se a grande Torcida do Vasco para a peleja de amanhã entre o grêmio de São Januário e o Fluminense.
Os Chefes da legião de fãs cruzmaltinos, Srs Olympio Pio e João de Lucca, avisam a todos os associados e adeptos, que o local escolhido para a concentração no Estádio das Laranjeiras, foi a parte da arquibancada, que fica situada na curva que da para a Rua Pinheiro Machado.
Fonte: Jornal dos Sports 10 de Maio de 1941

Torcida do Vasco Jornal dos Sports 1941

Torcida do Vasco Jornal dos Sports 1941

terça-feira, 29 de setembro de 2015

VASCO 1915: ANIVERSÁRIO DE 17 ANOS DO VASCO DA GAMA

Vasco Aniversário de 17 Anos Revista Fon Fon 1915

Vasco Aniversário de 17 Anos Revista Fon Fon 1915

Vasco Aniversário de 17 Anos Revista Careta 1915

domingo, 27 de setembro de 2015

FORÇA INDEPENDENTE, UNIÃO VASCAÍNA, IRA JOVEM, MANCHA NEGRA E PEQUENOS VASCAÍNOS 2015: OBÁ OBÁ UNIÃO DAS TORCIDAS

Hoje é dia de depenar urubu. Hoje tem Mulambada x Vasco, no Maracanã.
A Força Independente, a União Vascaína, a Ira Jovem, a Mancha Negra e a Pequenos Vascaínos irão unir suas forças, e contam com vocês nesse momento crucial.
A hora é agora!!
Seremos uma só voz e o nosso diferencial será a nossa entrega.
Não seja só um número na arquibancada:
Cante, incentive, dê sua alma, não pare um minuto. É pelo VASCO!
Lutar sempre, desistir jamais!
Força Independente do Vasco, um novo conceito em Torcida Organizada


Força Independente, União Vascaína, Ira Jovem, Mancha Negra e Pequenos Vascaínos 2015

sábado, 26 de setembro de 2015

FORÇA JOVEM 1987: O GOL DO BALÃO

No dia 09 de Agosto de 1987, Vasco 1 x 0 Flamengo, decisão do Campeonato Carioca, nessa época as Torcidas Organizadas davam show no Maracanã, muitos papeis higiênicos,  papeis picados, estandartes, muitas bandeiras e como de costume no Rio, as Torcidas soltavam balões, apesar de ser proibido, eles eram soltos no meio da Torcida.
Era uma tradição e gerava muita superstição, se o balão subir vamos ganhar, se ficasse preso na marquise era uma mau sinal.
Um pouco antes da bola rolar, Maraca lotado com 114 mil pessoas, é solto um balão na Força Jovem, o balão começa subir, bate na marquise, fica preso algum tempo, ameaça pegar fogo, tensão na Torcida do Vasco, vai se movimentando lentamente, até conseguir se desgarrar da marquise do Estádio, vibração da Torcida do Vasco, só que ele pega pouca altura e começa a descer, vibração da Torcida do Flamengo, ele atravessa todo o campo e caindo, aquele silêncio na Torcida do Vasco, vai caindo e acaba entrando no gol do outro lado do Estádio, bem no gol onde fica a Torcida do Flamengo, foi aquela explosão da Torcida do Vasco, parecia que tinha acontecido um gol do Vasco. 
Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe Vasco seremos Campeões.
 “Um fato histórico da Torcida do Vasco e da Força Jovem, foi o dia que o balão caiu dentro do gol do Flamengo, onde Tita fez o gol, as vezes eu falo isso e a molecada não acredita, qual é Japão, o balão caiu dentro do gol, ainda escuto isso, quem estava no Maracanã viu, não acho essa filmagem, mais esta na mente de quem estava lá, o balão foi batendo no teto, o Santo Cristo diz que o balão era dele, mais o balão é realmente histórico”. Falou Japão de Marechal Hermes.
"Eu sempre que podia levava um balãozinho, assim de uma folha, pegava papel fino, corte envesado, tira lesga, colocava uma bandeirinha do Vasco e a Cruz de Malta, nesse dia eu tinha ido pra casa de minha avó, lá em Mesquita, um amigo meu, seu nome é Alexandre Baguin, ele só ia ao jogo se eu arrasta-se ele, Bagin vamos levar um balão, e fizemos lá, fizemos um balãozinho e levamos, a galera ajudava, pegava, abria os gomo assim,  já botava a boquinha, já acendia ali, esse dia o balão foi, muitos queimavam, que batia na marquise, muitos não conseguiam subir, esse foi, foi pra geral, foi pro campo, com o vento ele não conseguia passar, foi, acabou caindo dentro do gol do Flamengo, a galera comemorou como se fosse um gol." Disse Marcelo Santo Cristo.

 Revista Placar de 1979
Vasco Revista Placar de 1987

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

VASCO 1977: SÃO JANUÁRIO O TEMPLO DO POVO

São Januário faz 50 anos. meio século de lutas para que o pobre e o negro engrandecessem o futebol Brasileiro. O Templo do Povo.
Fonte: Revista Placar 22 de Abril de 1977

Vasco São Januário O Templo do Povo Revista Placar 1977

Vasco São Januário O Templo do Povo Revista Placar 1977

Vasco São Januário O Templo do Povo Revista Placar 1977

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

TOV 1960: CHEFES DE TORCIDAS TROCANDO ABRAÇOS

Botafogo x Vasco começou bem, com Tarzan e Domingos Ramalho, Chefes de Torcidas, trocando abraços pela manhã no jogo dos juvenis. 
A tarde, porém os ânimos esquentaram. 
Na preliminar até policia entrou em campo, enquanto que no profissional houve três brigas, contadas a dedo, na Torcida do Vasco.
Fonte: Jornal Última Hora 05 de Dezembro de 1960

TOV Jornal Última Hora 1960

TOV Domingos Ramalho Revista O Cruzeiro 1956

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

TORCIDA DO VASCO 1957: VASCAÍNO É O NONÔ

Ninguém é tão Vascaíno como o Lindonor Ferreira, de Engenheiro Passos, no Estado do Rio. 
Ele conhece a fundo a história do Clube da Cruz de Malta e é capaz de dizer, de cor, todos os times Vascaínos, desde a data de fundação do Grêmio de São Januário. 
Quando casou fez pé firme: “Nome de filho meu, sendo homem, quem escolhe sou eu!” Veio o primeiro. Azar! 
Foi uma mulher e D. Marita, sua esposa, pôde opinar: Aurora. 
O segundo, porém foi varão e Nonô, sapecou-lhe o nome de Ademir. 
O terceiro foi o Alfredo; o quarto foi o Augusto; o quinto, o Lindonor (apelido de Eli); o sexto o Maneca; o sétimo foi a Maria; o oitavo, o Friaça e por fim, a pequenita Judith, de um ano de idade, a última do time. 
Mas não pararam por ai. Nonô quer um filho por ano. 
E outro já esta a caminho. 
Seu nome? Se for homem será Paulo (Paulinho), em homenagem ao zagueiro do Vasco. 
E Nonô explica, satisfeito: “Vou convidar o próprio Paulinho para batizar o menino e espero contar também com a presença do Presidente Artur Pires. 
Quem sofre com isso é a pobre D. Marita, pois ainda tem muito jogador Vascaíno para dar nome aos seus filhos. 
Estão faltando o Carlos Alberto, o Belini, o Orlando e tantos outros.
Fonte: Revista O Cruzeiro 16 de Março de 1957

Vasco Revista O Cruzeiro 1957



terça-feira, 22 de setembro de 2015

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

PEQUENOS VASCAÍNOS 1975: ESTRÉIA

A mais nova Torcida Vascaína Pequenos Vascaínos, estreou no dia 14 de Setembro de 1975. A rapaziada de Olaria está de parabéns, pois esta Torcida é um tremendo barato. Avante Vasco nós confiamos em você.
Comando Torcida Pequenos Vascaínos (26/09)

PORQUE O NOME PEQUENOS VASCAÍNOS
Através do Bate Bola venho informar o porque do nome Pequenos Vascaínos (Olaria). Foi uma brincadeira de pequenos jovens estudantes de 13,14 e 15 anos, com a supervisão dos pais, e, ao mesmo tempo convidar todas as crianças que queiram juntar-se a nós, receberemos com o máximo prazer.
A estréia das camisas no dia 15 de Outubro de 1975 foi um sucesso, desenhada pelo engenheiro Wanderley Fagundes. Aproveitamos para informar as reservas de camisas devem ser feitas com o Sr Macedo, Jorge ou Cláudio nos dias de jogos do Vasco ou a Rua Carlinda 93 Olaria
 Macedo, Jorge ou Cláudio (22/10)
Fonte: Jornal dos Sports 26 de Setembro e 22 de Outubro de 1975

Pequenos Vascaínos Jornal dos Sports 1975

Pequenos Vascaínos Jornal dos Sports 1975

Pequenos Vascaínos São Januário 1975

Pequenos Vascaínos São Januário 1975

Pequenos Vascaínos São Januário 1975

domingo, 20 de setembro de 2015

FORÇA JOVEM 2015: FJV NO ROCK IN RIO

No dia 11 de janeiro de 1985, o Iron Maiden se apresenta no primeiro dia do primeiro Rock in Rio.  Uma noite histórica, sem dúvida. Eles estavam na turnê do “Powerslave” e foram embora do Brasil com uma infinidade de novos fãs.
Em 1987 é lançada a primeira bandeira com a imagem do Eddie.
Em 1989, o Eddie cai de vez nas graças da Torcida, se tornando seu mascote oficial. 
Um adesivo com sua imagem é criado, dando início aos inúmeros que viriam e elevariam o status dos adesivos da Força nos quesitos criatividade e beleza.
Já no início dos anos 1990, vários integrantes da Força, inspirados, começaram a pintar imagens do Eddie nas costas de suas camisas, logo abaixo do "Força Jovem".
Em 1992, no Campeonato Carioca, a Torcida apresenta seu primeiro bandeirão (o maior do país até então), e estampado nele, o Eddie do "The Number Of The Beast" está junto com uma caravela.
Em 2001, na decisão da Copa João Havelange de 2000, que só foi realizada no início de 2001, na mesma época que a cidade receberia mais uma vez inúmeras bandas para a terceira edição do Rock In Rio, e entre estas bandas estaria o Iron Maiden.
 Quando a banda chegou no Brasil, a  FJV entrou em contato com o Maiden e conseguimos no dia da entrevista coletiva da banda, que foi onde eles estavam hospedados, no Hotel Intercontinental, um encontro com os músicos. 
No dia do jogo lá estavam Steve Harris (baixista e mentor da banda) e o guitarrista Janick Gers. A ideia inicial era levá-los para assistir o jogo no meio da Torcida, mas como o tumulto seria grande, optou-se por uma rápida passagem, deixando os ingleses nas tribunas do estádio.
Mantemos contato com eles desde 1994”, contou Alexandre Cebola que presenteou os músicos com uma bandeira, com a promessa de ser aberta durante a exibição do Iron Maiden no Rock In Rio. 
Mas a organização do festival, já vetou a idéia, para evitar tumultos. 
Vários componentes foram ao show no Rock In Rio e levaram uma bandeira.
Fontes: http://rockinrio.com/rio/blog/o-iron-maiden-e-o-rock-in-rio e http://www.forcajovem.com.br/site/

Força Jovem e Iron Maiden Rock In Rio

Força Jovem e Iron Maiden Rock In Rio

Força Jovem e Iron Maiden Rock In Rio 2001






sábado, 19 de setembro de 2015

TOV, PEQUENOS VASCAÍNOS E FORÇA JOVEM 1995: CAMPANHA PAZ NO FUTEBOL E CAMPANHA CONTRA A FOME

O sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, reuni-se hoje com representantes de Torcidas Organizadas do Rio para discutir iniciativas da Campanha Paz no Futebol e da Campanha contra a Fome.
Confirmaram presença as Torcidas Raça Rubro Negra, Torcida Jovem e Falange Rubro Negra (Flamengo), Vanguarda, Torcida Jovem e Folgada (Botafogo), TOV, Força Jovem e Pequenos Vascaínos (Vasco).
Fonte: Jornal Folha de São Paulo 15 de Setembro de 1995

Força Jovem, TOV e Pequenos Vascaínos Jornal Folha de São Paulo 1995

Força Jovem Maracanã 1995

Força Jovem e Pequenos Vascaínos São Januário 1995

TOV Maracanã 1995


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

FORÇA JOVEM 1988: BANDEIRA DA GAVIÕES NO PACAEMBU

“Em 04 de Dezembro de 1988, nós fomos pra São Paulo com dois ônibus, foi minha primeira viagem pra São Paulo, eu já tinha ido pra Minas, tinha 19 anos.
Fui escolhido para ir no ônibus Um, esse ônibus só tinha lenda da Força, era os Metralhas, André, Jorge, Mula Manca, Pança, Rogério Manteiga, Marcelo He Man, Roberto Monteiro, Marcondes, Arlindo, Alison, Assis Negão, Girafa, Japão, Fusca, Foca e Marcos See de Niterói.
Em São Januário, foi escolhido a dedo quem era pra ir, não era qualquer um que podia viajar.
Ao chegar ao Pacaembu, a gente bateu de frente com a Gaviões da Fiel que estava enorme, tinha 53 mil pessoas no Estádio, uns 3 mil Vascaínos, na descida do Tobogã, tinha uma galera do Corinthians comprando ingresso na bilheteria, encontramos os caras e saímos pegando, crente que ia se dar bem, quando fizemos a curva do Tobogã, muita camisa preta, nós com dois ônibus, umas cento e poucas pessoas, eu que estava enfrentando aquilo pela primeira vez, de repente um componente nosso, ele foi pra dentro dos caras, saímos pegando geral, botamos os caras pra correr, ai chegou a polícia aquela confusão e conseguimos entrar no Estádio.
Nós estávamos pequenos e Corintiano pra caramba, os caras fazendo festa, de repente pula um cara da Gaviões com a bandeira e fica tremulando, tipo aqui é tudo nosso, e finca ela no meio de campo e volta correndo pula o alambrado e volta para a Torcida, e fica comemorando, os caras vibrando, e eu na minha sanidade total, cheguei primeiro para o Aloísio Foca de Niterói e falei, se pegar aquela bandeira da fama, ele responde, não tem maluco pra isso não, pegar aquela bandeira, ia ser do caramba.
Nesse tempo a Força estava se firmando no cenário Estadual e Nacional, foi um feito, e foi um ponta pé para ser reconhecida e respeita no Brasil todo, nós estávamos conseguindo aqui no Rio com muito sacrifício.
Encontrei o Metralha e o Japão, eu falei, vou pegar essa bandeira, nego nem deu confiança, quem é esse moleque ai, eu estava com a camisa da Força, uma bermuda preta, três cordões de prata (moda na época), uma touca preta e uma mascara do dito cujo, virei a mascara para trás, e pulei o alambrado e sai correndo até o círculo central, ai nisso aquele silêncio no Estádio, peguei a bandeira e voltei vuado, nisso eu voltando, e olhando para a Força, nego comemorando igual a um gol, ai peguei e joguei a bandeira pra Torcida e fui pular de volta, só que já tinha seis PMs me esperando, ai me pegaram pela bermuda e foram me levando pra onde era o DPO do Estádio, só que esse DPO era debaixo da Gaviões, e por todo esse trajeto a Torcida me hostilizando, que eu ia morrer,que eu tinha desonrado o Timão, os PMs, falando vão juntar a gente, vamos largar esse cara aqui, ai eu falei, não pelo amor de Deus, me leva, ai conseguimos chegar no lugar onde fica detido.
Chegando lá o cara pega minha identidade e eu estava sem a camisa da Força, lógico coloquei dentro da bermuda, ai entra um cara, entrando na porrada, rindo, encostaram ele na parede, e eu numa cela 2x1, ai o cara tomando cassetete nas costas, olha pra mim e fala vou te matar, ai jogaram ele na cela, esse cara simplesmente era um grande da Gaviões e tinha ficado cego de um olho em São Januário, quando o cara entrou na cela, Carioca FDP, eu vou comer seus olhos, eu falei agora vai ser na porrada, nisso entrou dois PMs seguraram ele, o Rogério Alves (ex Força Jovem década de 1970) Advogado do Vasco, tinha ido me tirar, a pedido de Eurico e do Ely Mendes (Presidente da Força), me tirou da cela, o cara ficou esbravejando, eu fui com Rogério Alves, ele de terno e eu de bermuda e sem camisa, por dentro do gramado, até onde estava a Força Jovem, foi de ponta a ponta, antes de chegar a galera me reconheceu.
 Êeee, esta chegando a hora, carioca vai morrer”, eu falei, vai pular gente no gramado, vai dar ruim, chegando em frente a Força Jovem, tirei a camisa de dentro da bermuda, sacudi ela e pulei o alambrado de volta, ai nego começou a cantar.
Força Jovem, eee, é a Força Jovem, eee, da porrada na Jovem e na Fiel, Força Jovem é cruel, Eu sou da Força Jovem eu sou...
Mais uma festa, como se fosse uma goleada histórica, o Ely Mendes, coitado, coroa, né, falou, meu filho você é maluco, blá blá blá, você pode pedir o que você quiser no bar, a partir daí eu comecei minha história na Força Jovem, além de vários combates, mais essa ai foi histórica, são mais de 25 anos, e essa história perdura, acho que foi o ponta pé inicial, para Força Jovem ser conhecida no Brasil e principalmente ser apresentada a Gaviões, falou Serginho de Niterói.
“Nunca mais vou esquecer esse dia, Serginho entrou para a história”, disse Rogério Manteiga
“Ali foi sobrevivência, ali foi, quando Serginho estava voltando com a Bandeira, eu nunca vi tanta camisa preta na minha frente, os caras correndo pela arquibancada, eu me lembro que estava com dois caras aqui de Marechal, um dos caras falou, o que estou fazendo aqui, aquilo ali eu pensei, o massacre, não tinha jeito, os caras apedrejando a gente daquele terreno baldio, apedrejando a gente de cima do morro, e lá naquela arquibancada da frente, colocaram a gente no pior lugar, aquilo foi uma sobrevivência, quanta gente caindo de pedrada, de repente a PM jogou gás de pimenta, demos sorte, dali em diante começaram a nos respeitar, mais ainda”. Falou Japão de Marechal Hermes.
Fonte: Wattsapp "Dinossauros vem ai" em 16 de Setembro de 2015

Força Jovem 1988

Força Jovem 1988

Força Jovem 1988



quarta-feira, 16 de setembro de 2015

TOV E FORÇA JOVEM 1971: PRESIDENTE DO VASCO QUER MUDAR O COMANDO DA TORCIDA ORGANIZADA

O Presidente Agathyrno Silva Gomes, não gostou também da atitude de Dona Dulce Rosalina, Chefe da Torcida (TOV), que vem espalhando boatos sobre a saída do Treinador Paulo Amaral. 
Quer substituí-la por Ely Mendes, que chefia a ala Jovem Guarda (Força Jovem).
Fonte: Jornal Tribuna da Imprensa 07 de Julho de 1971

Força Jovem e TOV Jornal Tribuna da Imprensa 1971

Força Jovem Ely Mendes 1973





terça-feira, 15 de setembro de 2015

TOV 1945: A TORCIDA VASCAÍNA EM LUTO

Faleceram em conseqüência de um desastre havido na Vila Militar, os torcedores Vascaínos Edson de Oliveira e Manoel Climaco.
Também sofreram ferimentos no mesmo desastre, Jaime Saquim, Antônio Melquiados da Cruz, Nelson de Barros Silva, Dagoberto dos Santos Souza e Mário Pereira, Vascaínos pertencem a Torcida Organizada de Joe Louis e pertencem ao Corpo de Fuzileiros Navais.

VASCO X FLAMENGO
A Torcida Organizada do Vasco, chefiada por João de Lucca, não procura desta vez, qualquer apelo para concentração em razão do encontro com o Flamengo ser no Estádio do Vasco. 
Entretanto mesmo nas sociais do Vasco, deve haver a máxima atenção afim de todos obedecerem as ordens de comando.
Fonte: Jornal dos Sports 15 de Setembro de 1945

TOV Jornal dos Sports 1945

TOV Jornal dos Sports 1945



segunda-feira, 14 de setembro de 2015

FEMININA CAMISA 12 1977: FOTOS


Feminina Camisa 12 São Januário 1977

Feminina Camisa 12 São Januário 1977

Feminina Camisa 12 São Januário 1977

sábado, 12 de setembro de 2015

FORÇA JOVEM 1970: A ESTRÉIA

Fundada em 19 de Fevereiro de 1970, o jogo de estréia da Força Jovem foi Vasco 0 x 2 Flamengo, no dia 22 de Fevereiro, jogo válido pelo Torneio Internacional de Verão (14 a 22 de Fevereiro), que foi uma Competição amistosa jogada no Maracanã, que envolveu o Vasco, Flamengo, Seleção da Romênia e o Independiente da Argentina.

Força Jovem Maracanã 1970

Força Jovem e TOV Maracanã 1970

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

FORÇA JOVEM 2015: AÇÃO SOCIAL DA 16ª FAMÍLIA TERESÓPOLIS

A 16ª Família Teresópolis da Força Jovem fará uma Ação Social no dia 11 de Outubro de 2015, destinada as crianças carentes na Associação Nova Vida em campanha.
Precisamos de doações de qualquer tipo (roupas, brinquedos, alimentos não perecível, etc) para crianças de 2 a 16 anos.
Interessados em ajudar entrar em contato: Luíz (21) 99285-8589 , Monique (21) 99342-9962 ou Edmílson (21) 97474-3610.
Buscando um futuro melhor para todos!

Força Jovem Ação Social da 16ª Família Teresópolis 2015

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

GUERREIROS DO ALMIRANTE 2015: TORCEDOR ESTÁ ELIMINADO DO QUADRO SOCIAL DO VASCO

Após três suspensões por invasão à sede de São Januário (no documento ao qual o GloboEsporte.com teve acesso, constam os nomes de Luis Rocha, Presidente da Torcida Pequenos Vascaínos, e Powzemarquer Monteiro dos Santos), que aconteceu em agosto, Eurico Miranda e a diretoria do Vasco puniram mais dois sócios.
Um deles, Davidson de Mattos, está eliminado do quadro social por decisão do presidente.
Mattos tem 10 dias para recorrer no Conselho de Justiça do Vasco e deve procurar também a Justiça comum.
Professor e sócio desde 2003, Davidson escreveu em grupo de Facebook que desejava a morte de Eurico, publicando a foto do prontuário médico que vazou de um hospital na Zona Sul do Rio - em exames recentes realizados pelo dirigente. A carta enviada ao professor citava a frase de Mattos
- "Sem nenhuma hipocrisia: que morra o mais dolorosamente possível e leve junto todos os seus lacaios vagabundos" - e que a punição imposta ao ex-sócio era "ratificada" por unanimidade pela diretoria administrativa do clube de São Januário.
Apoiador de Julio Brant na última eleição, Matos voltou a atacar Eurico e disse que vai lutar na Justiça para voltar ao quadro social. 
Fonte: NETVASCO

AO VASCO, TUDO! PARA MIM, O DOBRO!

‘CADA UM CARREGA A SUA CRUZ’, DIZ O DITADO; O VASCO CARREGA DUAS: UMA NO PEITO E OUTRA NA SALA DA PRESIDÊNCIA
POR YURI EIRAS

Eurico ama o Vasco da Gama porque ama as tradições passadas por seus pais; sua família é toda Vasco e o Vasco é sua família. 
Seu Álvaro, velho português, ensinou três lições para o pequeno que ele nunca mais esqueceu: a receita de uma fornada de pão francês (1 quilo de farinha, 400 gramas de açúcar e 250 gramas de sal); honrar as tradições de sua família e amar o Vasco da Gama acima de tudo. Todo o resto ele aprendeu sozinho mesmo....
O casal Álvaro e Alexandra vieram para a cidade do Rio de Janeiro há quase oitenta anos atrás, fugindo da ditadura salazarista de Portugal.
Abriram um comércio, atividade de boa parte da colônia lusitana, no bucólico bairro da Urca: a Padaria Miranda. O jovem Eurico, que carrega esse nome em homenagem ao então presidente brasileiro Eurico Gaspar Dutra, não devia ter mais de quinze anos quando distribuía os pães na vizinhança com sua fiel bicicleta, todos os dias pela manhã. Nas horas vagas entre o horário das aulas no tradicional colégio Santo Inácio e a ajuda no balcão da padaria, ele sempre dava uma escapada rumo a São Januário para acompanhar o seu Vasco da Gama, um pedaço daquela Arouca que sua família havia deixado anos antes. Era Portugal instalado em São Cristóvão.
Seria uma linda história de amor e identificação a um clube se não estivéssemos falando de Eurico Miranda. Brigas, ameaças e o seu sempre dedo em riste fazem da figura um dos dirigentes mais controversos da história do futebol brasileiro. Matérias em jornais e revistas de trinta anos atrás já atentavam para o risco de Eurico Miranda se tornar o homem-forte do Vasco da Gama. Ele se tornou, de fato, e colecionou desafetos por onde passou: brigou com ídolos do clube, jornalistas, sócios, torcedores, Rede Globo. 
Só não brigou com Deus porque é um Católico Apostólico Romano convicto e frequenta missas sempre que pode.
Entre muitos de seus oponentes está Davidson de Mattos.
Das pedras gigantescas no sapato mocassim do presidente, ele é apenas uma poeirinha.
Professor por profissão e liderança durante muito tempo da Torcida Guerreiros do Almirante, Davidson foi expulso recentemente do quadro de sócios do Vasco da Gama. Sua história de amor ao Cruzmaltino é bonita, como a de Eurico também é. A diferença está na transparência.
Davidson, como poucos, anteviu o que seria a política vascaína com a participação de Eurico Miranda.
“Eu tenho orgulho de ser oposição às posturas dele desde o final da década de 1980”, diz o professor sobre o Sapo, apelido que dá a Eurico.
 “Percebi muito antes da maioria que ele é a antítese do Vasco”, afirma.
“O Vasco tem uma história progressista, é um clube honesto, onde não há máculas de politicagem”, completa.
Muito antes disso, em 1969, o primeiro ato de Eurico foi estampado nos jornais. A sua mão direita foi fotografada pelo Jornal O Globo (publicado em 26 de novembro do mesmo ano) desligando o quadro de energia elétrica da sede náutica do Vasco da Gama. A ação foi a fim de impedir a votação pela cassação do presidente do clube na época, Reinaldo de Matos Reis. Eurico, aliado político do então presidente e já vice de patrimônio tinha apenas 25 anos, mas já dava seu primeiro passo como figura importante dos bastidores do Cruzmaltino.
Sócio proprietário do clube desde 2003, Davidson tem uma vida frequentando as arquibancadas de São Januário.
Foi integrante da Força Jovem do Vasco na década de 1980 e da Tulipas Vascaínas logo depois, quando se afastou após o nascimento de seu filho. Figura conhecida entre os torcedores, Davidson esteve na liderança da Torcida Guerreiros do Almirante entre 2008 e 2015.
Não foi fundador, mas foi o Capo durante um bom tempo.
Capo é a denominação dada àqueles que são liderança nas Barra Bravas.
Afastou-se da liderança da Guerreiros logo após circular a notícia que Eurico Miranda voltaria a se candidatar para a presidência do Vasco.
Para a Torcida não pagar o pato de sua oposição ferrenha ao candidato, Davidson entregou o cargo.
“Percebendo que em caso de vitória do Sapo a Torcida pagaria pela minha postura, eu decidi me afastar e entreguei a liderança. Já tinha notificado desde outubro que minha luta seria essa. Eu não aceitaria entregar o Vasco a esses canalhas sem lutar. Parti pra guerra” declara Davidson.
A mesma mão que desligou o quadro de energia em 1969 aponta o dedo para adversários políticos na social de São Januário. É a mesma que assina documentos diversos, a favor do Vasco ou contra. É a mão que se ergue ao gritar ‘Casaca! Casaca! Casá-casá-casaca!’ em dia de conquista. 
É a que ele usa, vez ou outra, para fumar seus charutos cubano Cohiba, o preferido também de Fidel Castro. É a mesma mão que Eurico esticou para cumprimentar Davidson na única vez em que eles estiveram frente a frente, em 2013.
Ele tentou um contato, mas o professor, que estava na secretaria para regularizar sua situação de sócio, negou o cumprimento.
Disse a Eurico que não apertaria sua mão.
‘Apertaria a mão de qualquer pessoa do Vasco, menos a sua’, afirmou, convicto.
A expulsão de Davidson do quadro de sócios do Vasco se deu após a divulgação, via Whatsapp, da foto de um prontuário médico recente de Eurico Miranda.
Ele a publicou em um grupo fechado de vascaínos no Facebook, junto com uma frase onde ele dizia estar na torcida para que Eurico morresse ‘o mais dolorosamente possível’ e, de preferência, ‘levasse a corja junto’. Outro sócio, aliado de Eurico e, segundo Davidson, organizador do ‘Mensalão do Vasco’ na Baixada Fluminense viu a publicação. Ele printou,enviou para o site Casaca! e a notícia chegou ao gabinete da presidência.
Sob o artigo 34 e 35 do estatuto do clube, Davidson foi cassado. Seus advogados já fazem sua defesa prévia no Vasco. O professor sabe que ‘o sistema do clube é viciado’ e ele estará representando contra quem o expulsou. Mas não desiste.
Fonte: https://medium.com/revista-fora-da-%C3%A1rea/ao-vasco-tudo-9c833f5d2c69

Vasco 2015

Guerreiros do Almirante São Januário 2015



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

VASCO 1956: FLÂMULAS

Fonte: http://almanakdovasco.blogspot.com.br/

Vasco Flâmula 1956

Vasco Flâmula 1956

Vasco Flâmula 1956

terça-feira, 8 de setembro de 2015

FORÇA INDEPENDENTE 2015: II FESTIVAL DE FUTEBOL DA FORÇA INDEPENDENTE

Dia: 12 de Setembro de 2015.
Local: Caixa d’água Caramujo Niterói.
Troféu para 1º e 2º colocados.
Doces, Pula Pula, Algodão Doce e Brinquedos pras crianças.
Som, Barracas de bebidas e outros.
Barraca associando novos membros e vendendo materiais da Torcida.
Força Independente do Vasco, um novo conceito em Torcida de verdade, confia!
Gestão Inteligente.

Força Independente IIº Festival de Futebol da FIV 2015

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

ANARQUIA 1989: FOTOS

Anarquia e TOV Morumbi 1989

Anarquia Maracanã 1989

Anarquia com jogador Bebeto São Januário 1989