segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

TOKAV 2000: TORCIDA ORGANIZADA KAMIKAZES VASCAÍNOS

Esta Torcida Organizada, sediada em Rio do Sul/SC, conta com mais 100 sócios. 
Seu Presidente, Édio Wilson Chiarelli, comunica com muito orgulho a sua mais nova obra de amor, o informativo da TOKAV (Torcida Organizada Kamikazes Vascaínos).
Para quem quiser entrar em contato com esta Torcida Catarinense o endereço é:
Rua Joaquim, 372 Laranjeiras Rio do Sul Santa Catarina.
Fonte: Revista do Vasco
Fundação: 05 de Maio de 1999

TOKAV Revista do Vasco 2000



domingo, 28 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 1971: SEGUNDA CAMISA DA FORÇA JOVEM

È lançada a segunda camisa da Força Jovem, também preta com a faixa em diagonal branca do lado oposto da Cruz de Malta, escrito Força Jovem em branco na frente e na parte de trás.
“A camisa era o mesmo modelo do que a primeira. O que realmente aconteceu foi que ouve muita reclamação referente as letras serem vermelhas em cima do preto, apesar de que naquela época a rivalidade não era tão grande como hoje em dia. Houve também quem dizia que não tinha nada haver, já que a Cruz de Malta era Vermelha. Na verdade teve dois motivos para a mudança. Uma as letras vermelhas não sobressaía em cima do Preto e a mais forte mesmo da reclamação era de ficar preto e vermelho saindo assim da nossa origem” falou Francisco Carlos Português.

Força Jovem Camisa 1971

Força Jovem Camisa de 1984 e 1971

sábado, 27 de fevereiro de 2016

TOV 1968: QUEM É DULCE ROSALINA

Dulce Rosalina Ponce de León e Domingos do Espírito Santo Ramalho são ao lado do “Cartola”, os mais populares torcedores do C. R. Vasco da Gama. Inseparáveis e intransigentes, devotam ao Clube um amor que raia pela veneração. 
Assalta-os também a superstição, pois chegam a supor, tal como o Fontainha do América, que ausentar-se qualquer deles de um jogo é influenciar negativamente o seu resultado. Têm a firme convicção de que se tornaram imprescindíveis desde o momento em que Martim Francisco lhes prometeu o campeonato se eles organizassem a Torcida Vascaína.
Cumpridas ambas as promessas, desde então eles fizeram daquilo um sério dever, e às vezes vão às competições em estado de enfermidade. 
Ela, como Chefe da Torcida, e Ramalho, com seu talo de mamoeiro, são dos poucos aficionados a lidarem diretamente com a política do Clube, porquanto têm empreendido campanhas presidenciais quase sempre triunfantes. 
Tratam, não só do incentivo à Torcida, mas, por igual, de colocar na direção do grêmio pessoas que, a juízo deles, possam dirigi-lo com o maior proveito.
A singular dupla parece pensar por uma só cabeça, já que convergem as opiniões sobre os principais assuntos de interesse comum. 
Falaram-me, por exemplo, de bons e sofríveis dirigentes, sempre em uníssono. Isso, para eles, “é sintomático em um homem de bem, de capacidade administrativa, grande devotamento ao clube e respeito à palavra empenhada”. Manuel Joaquim Lopes “encarna o dirigente ideal, atento aos problemas partidários e capaz de solucioná-los sempre em boa hora”.
Nasceu Dulce Rosalina nas proximidades da Ponte dos Marinheiros, mudando-se, depois, para a Av. Presidente Vargas. Seu pai, um português criado na Saúde e naturalizado brasileiro, frequentador assíduo do rancho carnavalesco “Recreio das Flores”, hoje “Recreio da Saúde”, pregava a igualdade sem restrições. 
Combatente acirrado do preconceito de cor incutiu no espírito da filha, desde a mais tenra idade, aquele princípio como um dos pontos cardeais da melhor maneira de conviver com os semelhantes. 
Era vascaíno por convicção. Transmitiu à sestrosa mulatinha seus pendores clubísticos, mas ela só se fixou definitivamente como Vascaína, quando o então Presidente Raul Campos declarou que o Vasco se sentia honrado mantendo em suas fileiras jogadores negros. Isso lhe pareceu extraordinário. 
O Presidente comungava com as idéias paternas, e isso importava sobremodo. Demonstrava que ele, também, era homem de bem, acolhedor e transigente tal qual o genitor, por ela admirado com a maior intensidade.
Com sete anos ingressou no Colégio Anglo-Americano. 
Aos dez foi para o Regina Coeli, mas só completou o curso no Santa Teresa de Jesus, no Largo da Segunda-Feira.
Em 1948 enamorou-se do atleta Ponte de León, então do São Paulo F.C., e com ele veio a casar-se um ano depois para se tornar viúva em meados de 1965.
Dulce Rosalina tem dois filhos, um dos quais já foi campeão pelo time praiano Alvorada. 
A menina, com inclinação para basquete, deverá ingressar no Botafogo, pois o Vasco, não se interessa muito por esse esporte para moça.
Em uma entrevista ela diz:
“Pensei em trabalhar, desempenhando atividades no comércio ou na indústria; todavia, concluí que seria desperdiçar energia. Poderia ficar impossibilitada, por exemplo, de participar intensamente da vida do meu Vasco, como venho fazendo, e não sei se suportaria privar-me da maior alegria de minha vida, que é estar sempre à sua disposição."
Em 1961, o concurso sobre o melhor torcedor do Brasil foi ganho por Dulce Rosalina, que assim passou a ocupar o lugar de Cristiano Lacorte, o saudoso torcedor botafoguense, ficando Ramalho em segundo lugar. Ao Vasco ela deu o troféu com que foi agraciada e, até hoje, acha-se ele exposto no salão evocador das vitórias cruz-maltinas.
Atualmente, é a única mulher que comanda uma Torcida de futebol. 
E o coração feminino torna-se desmedidamente grande na devoção. Oferece muito e, não raro, em troca de nada.
Dulce Rosalina confirma essa verdade. Sua paixão pelo Vasco da Gama encerra algo de belo, idolátrico, imorredouro.”
Vê-la nos instantes de arrebatamento esportivo ou quando vibra de emoção ao referir-se ao Clube predileto é passar a crer nas virtudes de certos seres.
Bendigamos-lhe o sentimento, a intensa e admirável veneração ao grêmio a que de todo se entregou.
Autêntica Vascaína, nossa Dulce Rosalina também teve a sua vez. 
Passou por grande fiasco, quando, por causa do Vasco, foi metida no xadrez. Seu amor é tão profundo, ao “maior Clube do mundo”, como costuma dizer, que, creio, quando morrer, pela paixão incomum isto aos olhos logo salta, só resta ao Vasco uma cousa: colocar em sua lousa, em vez duma cruz comum, uma bela cruz-de-malta.(Mandico)
Fonte: Livro Torcedores de ontem e de hoje de João Antero de Carvalho e http://cacellain.com.br/blog/?p=1015

Renovascão Dulce Rosalina 1977

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2004: FJV, EM MOVIMENTO

Esse boletim da FJV chega em boa hora. 
Estaremos, periodicamente, conversando com você e buscando analisar o desempenho do nosso time com os olhos dos Vascaínos e com o espírito de quem quer o melhor para o Vasco.
Rumo ao Bi Estadual. Depois do sufoco contra o Friburguense, chegamos as finais da Taça Rio superando as próprias limitações do nosso time e o momento financeiro difícil que o Clube atravessa.
Nossa Torcida, como sempre, chegou junto e foi fator decisivo para chegarmos ao jogo contra o Fluminense.
E mais uma vez, está em nossas mãos a missão de empurrar nosso time para a decisão do campeonato.
Agora, é torcer por mais uma vitória sobre o tricolor e depois partir com tudo pra cima do rival. Força, Vascão.
Escrito por Roberto Monteiro, que é Advogado, Conselheiro e ex Presidente da Força Jovem.
Fonte: Boletim da Força Jovem 2004

Força Jovem Boletim da FJV 2004

Força Jovem Boletim da FJV 2004

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2016: HOMENAGEM A WASHINGTON RODRIGUES

Com mais de 50 anos dedicados ao jornalismo esportivo, o radialista Washington Rodrigues, o Apolinho, tem um capítulo à parte na carreira: em 1995, ele passou para o "lado de dentro" e assumiu o comando do Flamengo como treinador. Torcedor assumido do Rubro-Negro, onde também foi diretor de futebol, o jornalista da Rádio Tupi-RJ conta que evita fazer a cobertura direta do clube e sempre se relacionou bem com os demais, tanto que ele fala com carinho da relação com os Vascaínos. 
- Nunca a Torcida do Vasco me hostilizou. Ganhei um prêmio, uma coruja de mármore, dada pela Força Jovem (nota do blog: provavelmente na década de 1980). Minha mulher falou: "Você vai apanhar". E eu: "Vou ser homenageado, como vou apanhar?". Cheguei lá e deram uma vaia, tudo armado. Tremi um pouquinho, mas depois aplaudiram. Sou carinhosamente tratado lá - contou, no "Redação SporTV", revelando ainda ter uma relação de amizade com o Presidente cruz-maltino Eurico Miranda . 
Fonte: NETVASCO e GloboEsporte.com 16 de Fevereiro de 2016 

Washington Rodrigues

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

IRA JOVEM 2016: APOIO A INICIATIVA DE COTAS DE INGRESSOS A TORCEDORES DE BAIXA RENDA

VASCO VAI RESERVAR COTA DE INGRESSOS PARA DAR A TORCEDORES DE BAIXA RENDA
Com a justificativa de evitar uma exclusão dos torcedores de renda mais baixa dos jogos do clube — seja pela incapacidade de arcar com os preços ou de aderir ao sócio-torcedor, geralmente com mensalidades cobradas via cartão de crédito —, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, anuncia uma tentativa de compensação inédita no futebol brasileiro, e que deve ampliar o debate sobre ingressos. O clube prepara a implantação de uma cota de bilhetes a cada jogo em São Januário para ser dado a torcedores que comprovarem ter baixa renda, nos moldes do programa Bolsa Família do governo federal...
Fonte: http://extra.globo.com/esporte/vasco-vai-reservar-cota-de-ingressos-para-dar-torcedores-de-baixa-renda-18719650.html

COMUNICADO IRA JOVEM
Diante do manifesto do Presidente do Club de Regatas Vasco da Gama, Eurico Miranda, sobre o estudo de viabilidade de uma cota de ingressos populares, a IRA JOVEM DO VASCO vem manifestar o seu TOTAL APOIO à iniciativa.
Entendemos que tal atitude está no DNA do Vasco. Desde sua fundação e durante toda sua história, o nosso amado Club sempre lutou e prezou pelos menos favorecidos.
Valorizamos a relação com as comunidades ao redor de São Januário e acreditamos que, posta em prática, a cota de ingressos vai manter o Vasco nas suas raízes, acolhendo quem desde 1898 o transformou em GIGANTE: O povo!
Sabemos que a ideia ainda é embrionária e que muitos passos ainda terão que ser dados para poder ser posta em prática, mas desde já estimulamos e incentivamos a diretoria do Vasco a levar essa proposta adiante.
Para finalizar, nos alegra perceber que em tempos onde o TORCEDOR é tratado, erradamente como consumidor por clubes e pela mídia, o VASCO mais uma vez parece dar uma resposta histórica, não abandonando as suas origens e mostrando quem é de verdade O CLUB DO POVO.
PODEM TREMER SÃO JANUÁRIO SEMPRE VAI SER BAILE DE FAVELA. //

Ira Jovem Maracanã 2015

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2002: VASCAÍNOS TAMBÉM GANHAM DO FLA NO GRITO

Dois anos após Petkovic marcar o gol de falta que deu ao Flamengo o tricampeonato estadual, o sérvio foi ovacionado pela Torcida que ele calara naquele domingo. 
A vingança dos Vascaínos veio com os gritos de Pet, Pet, Pet ao fim da partida. 
O novo ídolo, que deu os passes para os dois de Ramon, ontem no Maracanã, estava novamente consagrado.
A guerra de nervos entre as Torcidas começou quase uma hora antes da partida, Arquibancada lotada por rubro negros, o contraste visual era avassalador. 
A festa parecia ser vermelho e preto. 
A voz dos Vascaínos foi abafada por ampla maioria.
Já com os times em campo os flamenguistas provocaram os adversários, cantado o famoso “Recordar é viver, Pet acabou com você!”, lembrando o estadual de 2001.
A galera de São Januário, imediatamente, respondeu na mesma moeda e deixou o goleiro Júlio César abalado com uma rima desagradável sobre a sua mulher, Suzana Werner e Ronaldinho. 
Em menor número no Estádio, a Torcida do Vasco iniciou a festa com o primeiro gol de Ramon. 
E Pet? 
Foi cantado em verso e prosa pelo povão. 
Iranildo empatou e incendiou os rubros negros.
Mas a festa era mesmo cruzmaltina. 
Ao som de muita batucada, os Vascaínos deixaram o Maracanã gritando. “Ão, ao, ao, segunda divisão.” A bateria rubro negra, ao contrário, saiu do Estádio ao som de marcha fúnebre.
Fonte: Jornal O Globo 17 de Outubro de 2002

Força Jovem Jornal O Globo 2002

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2001: MARCELO GRANZOTTO NEGA ENVOLVIMENTO DA FORÇA JOVEM

Ontem a tarde, na 17ª Delegacia de Polícia, em São Cristóvão, foi ouvido o depoimento do Presidente da Torcida Força Jovem, o advogado Marcelo Granzotto, 28 anos. 
O objetivo era esclarecer se a Facção tinha alguma responsabilidade na briga entre torcedores que teria iniciado a tragédia em São Januário. 
“A briga aconteceu entre dois torcedores não identificados, que não são integrantes da FJV. Os dois estavam sem camisa e um deles aparentava ter 25 anos, estatura mediana, pele morena”. Disse Marcelo, que estava a cerca de 20m do local.
Marcelo assegurou que não houve superlotação no Estádio e que haviam espaços vazios na Torcida. 
“O que pode ter acontecido é que o local do acidente é um lugar tradicional dos torcedores, que podem ter se aglomerado em grande número por ali. Havia 30 mil torcedores em são Januário. O que ocorreu foi uma fatalidade, Sorte de o acidente ter acontecido em um Estádio seguro como o de são Januário, ou poderia ter sido bem pior”. 
Sobre a pressão de torcedores e dirigentes para o reinício da partida, Marcelo disse que as autoridades responsáveis liberaram o gramado para que o jogo recomeçasse. 
“Quem tinha que dizer se o jogo seria ou não reiniciado eram os comandantes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e do Policiamento, e eles foram favoráveis ao reinício da partida e na minha opinião, tínhamos perfeitas condições para isso”. Marcelo revelou também que a FJV recebeu uma carga de 3 mil ingressos do Vasco para o jogo.
Fonte: Jornal do Brasil 09 de Janeiro de 2001

Força Jovem Jornal do Brasil 2001

Força Jovem 2001

Força Jovem 2001


domingo, 21 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2001: DESACRAVO A EURICO REÚNE 230 CARROS, PROTESTO VASCAÍNO CONTRA A TV GLOGO FOI SEM INCIDENTES

“A, e, i, o, u, domingo tem Eurico na banheira do Gugu”, “CPI para a TV Globo” e “Fora Rede Globo, fora do Brasil” foram as principais palavras de ordem na carreata realizada ontem pela Força Jovem do Vasco, em desagravo ao que os organizadores consideram uma suposta campanha do Sistema Globo contra o Presidente do Clube, o Deputado Eurico Miranda, acusado de enriquecimento ilícito em reportagem do Jornal Nacional. 
A carreata começou da Praça do Ó, na Barra da Tijuca, e percorreu parte da Zona Sul do Rio de Janeiro, passando pela orla, até a sede da rede Globo de Televisão, no Jardim Botânico. 
Cerca de 230 carros acompanharam quase todo o tempo o movimento de protesto vascaíno, segundo os seus organizadores.
A concentração começaria em São Januário, mas apenas um ônibus saiu da Sede do Clube com destino a Barra da Tijuca. Na Praça do Ó, a movimentação era bem maior. Num carro de som, Zé Colmeia, o fisioterapeuta de Romário, organizava a carreata, pedindo a todo instante que os participantes se mantivessem em ordem, para evitar problemas. 
A carreata saiu em ordem e foi acompanhada por alguns policiais.
Por volta das 22 horas, ela chegou a rua Jardim Botânico, mas a um quarteirão da entrada da Rua Lopes Quinta a polícia havia feito um cordão de isolamento, o que desestimulou muitos participantes. Os que ficaram começaram a protestar contra a proibição determinada pela polícia: “Isso é ditadura”. 
Diante do protesto, a polícia, comandada pelo coronel Soares, do 23º Batalhão, do Leblon, permitiu que os torcedores prosseguissem como seu protesto, mas a pé. 
Cerca de 100 torcedores subiram a Lopes Quinta, acompanhados por policiais, em direção a TV Globo, onde proferiram palavras de ordem contra a emissora de TV.
Fonte: Jornal do Brasil 08 de Fevereiro de 2001

Força Jovem Jornal do Brasil 2001

Força Jovem Jornal do Brasil 2001

sábado, 20 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2016: PARABÉNS FORÇA JOVEM

POR FRANCISCO CARLOS, PORTUGUÊS
Hoje oficialmente a Torcida Organizada Força Jovem do Vasco completa 46 anos de existência.
Um sonho que começou em 29 de março de 1968, após o fim da Torcida Leões Vascaína.
Um grupo então resolveu que teriam que mudar e um novo conceito de Torcida nascia.
O Vasco na época passava por problemas político e assim começou a nascer uma nova força dentro do Clube.
1969 foi o grande passo desse sonho, a primeira faixa que foi colocada na lagoa com os dizeres "" VASCO O MÉIER TE SAÚDA "" e a mesma levada para o Maracanã junto com uma outra que dizia "" FELICIDADE SEU NOME É VASCO "".
19 de Fevereiro de 1970 a Torcida foi oficializada e nisso a mudança de conceito de torce e apoiar o Vasco, o ano que o Vasco se tornou Campeão de Terra e Mar.
Essa mesma Torcida que fez a maior caravana já vista e que foi copiada por muitos, essa caravana foi em 1971 para São Paulo, num jogo contra os gambás, a Rio Branco ficou tomada com 87 ônibus de um Torcida só.
Como também não falar de a FJV ter sido a primeira Torcida de fora a ir a Fonte Nova na Bahia em 1973.
A primeira Torcida a levar bolas de gás ao Maracanã na decisão do Brasileiro de 1974
A primeira Torcida a enfeitar o Maracanã, onde nas marquise do Maracanã tinha enfeites com tiras de pano preto e branco e escrito Força Jovem e Cruz de Malta separando 1976/77.
A primeira Torcida a passar um bandeirão por cima do público.
A primeira Torcida ser homenageada por uma Escola de Samba, Portela em 1979.
Falar da Força Jovem é lembrar de vários guerreiros que lutaram e deram a vida por essa Torcida.
Falar da Força Jovem é lembrar que somos uma grande Família.
Falar da Força Jovem é falar da maior Torcida Organizada do Brasil e do mundo.
Falar da Força Jovem é amor, é carinho e saber que não estamos falando somente de um Torcida e sim de um Clube de uma Família.
"" Se não der prá mim não vai dar prá você, sou Vascaíno, Batizado
Eu sou da Força Jovem e ninguém vai me segurar""
PARABÉNS FORÇA JOVEM DO VASCO
UM SONHO QUE SE TORNOU REALIDADE 
46 ANOS

POR MÁRCIO GOMES, MONGE
Rio de Janeiro, 19 Fevereiro de 2016.
GRTOFJV,
Quem diria, hoje completo 46 anos, e estou amadurecendo a cada ano e aprendendo com meus seguidores e admiradores.
Nasci com o intuito de revolucionar a Torcida do Vasco; Torcida está, que faça sol, faça chuva cumpre seu papel em apoiar o CRVG onde ele estiver por puro ideal.
No começo foi difícil, eram poucos os que me seguiam, porém com garra conquistei a admiração de todos, e comecei a ser respeitada, lembro da virada da década de 70 para 80, quando conheci Ely Mendes uma pessoa apaixonada por mim, que me amou a até sua morte, e com ele comecei a mudar e crescer, porém ordenadamente, fiquei meio assustada vendo centenas de jovens lutando para eu crescer e me colocar em destaque nacional. Eram jovens sem limites, que sempre gritavam meu nome em voz alta, colocando respeito e levantando minha bandeira com a cruz malta, porém eles queriam mais e mais, me colocaram um selo a qual eu amei, chamado Eddie, com suas bandeiras coloridas e seus desenhos espelhados em uma banda de Rock roll chamada Iron Maiden, e as mudanças começaram, ganhei um bandeirão, que me orgulho como a mais bonita do mundo, ganhei bateria cadenciada, ganhei o respeito das torcidas coirmãs, a qual tivemos grandes batalhas lado a lado. Virei uma família com dimensões nos 4 cantos da terra.
Tive muitos momentos de tristeza também, ao perder alguns dos meus seguidores em batalhas e lutas pessoais com a vida. Externo meu sentimento aos meus seguidores que partiram: Gabirú, Nogueira, Luizinho do Méier, Felipe da Baixada, Fabrício de Vigário Geral, Paulinho da Ilha, Celso da Zona Norte, e ao meu ex-presidente Marcelo He-Man, acredito que vocês são estrelas que brilham querendo o melhor de cada um aqui neste planeta chamado Terra.
Eu sei meus seguidores de nossa luta interna no passado, acredito que esta luta foi para aprendermos com nossos erros, porém o passado não importa, e agora estou forte novamente, e renovada, em breve estaremos todos juntos em nossa missão de apoiar o Vasco onde ele estiver.
Aos meus ex Presidentes e ex Diretores agradeço cada minuto dedicado, eu sei como é difícil deixar familiares que amamos, esposas, filhos, pai e mãe. Sofro junto com vocês em cada ausência de suas casas.
Aos meus componentes agradeço do fundo da minha existência a dedicação de cada um e o meu respeito a todos, pois sem vocês eu não existiria.
Atualmente sou administrada por pessoas que estão me unificando novamente; para resgatar o tempo perdido, e encontrar um abrigo para todos nós, a nossa altura, pois somos uma torcida independente do Vasco, ele precisa de nós como nunca e faremos isso.
Agradeço a cada diretor que citarei seus nomes agora, que se empenham em uma torcida cada vez mais forte e unida: Leandro, Jefferson, Sávio, Fabinho, Sinistro, Tele, Joel e Birigui, acredito em vocês.
Meu muito obrigado,
FORÇA JOVEM
Acima de tudo abaixo de nada.

Força Jovem

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2016: COMEMORAÇÃO DE 46 ANOS DA FJV

O G.R.T.O Força Jovem do Vasco, vem através de sua diretoria unificada convidar a todos seus associados e simpatizantes à comparecerem nesta sexta feira próxima (19/02/16), para juntos comemorarmos mais um ano de aniversário do nosso amado Grêmio.
Local: Six Soccer (Rua Curuzu, 70/ São Cristóvão, próximo a Praça Argentina).
Hora: 17:00 
Aguardamos todos lá trajando nossa farda oficial. Haverá venda de bebidas com um preço especial no local, e o churrasco será liberado! Não percam esta confraternização, e em breve, aguardem para curtir a melhor Festa de Torcida Organizada do Brasil.
Nossa equipe estará a postos para efetuar o cadastro de associados, tal como, a venda de materiais.
46 ANOS NÃO SÃO 46 DIAS, A FAMÍLIA PROMETE, DEMORA MAS CUMPRE.
Fonte: Facebook da Força Jovem

Força Jovem Comemoração de 46 anos 2016

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM 2016: PARABÉNS FORÇA JOVEM 46 ANOS


Força Jovem Parabéns 46 anos 2016

TOV 1987: UM CASO DE AMOR COM O TIME

Amâncio César, Chefe da Torcida Organizada do Vasco (TOV), e Homero Augusto, Vice Presidente da Charanga, a mais antiga Torcida Organizada do Flamengo, concordam que a decisão de aderir a um Clube passa por um período de namoro do torcedor com o time e explode no encontro dele com a Torcida.
“É justamente o primeiro encontro com o futebol que vai despertar o amor pelo Clube. A família pode até influenciar, mas existem muitos casos em que os pais torcem por um time, os filhos por outro e vice versa. A pessoa começa a se identificar ou com as cores do Clube, ou pela maneira do time jogar, e quando vem ao Maracanã e visualiza a Torcida sente aquele impacto, se empolga, e daí a opção, afirma Amâncio César.
Fonte: Jornal O Globo 09 de Agosto de 1987

TOV Jornal O Globo 1987

TOV São Januário 1987

TOV Maracanã 1987

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

FORÇA JOVEM E TOV 1975: CARAVANA A BAHIA

A Torcida do Vasco, empolgada com a vitória sobre o Grêmio, em São Januário, prometeu acompanhar e incentivar o time a Bahia.
Dulce Rosalina (TOV) está vendendo passagens de ida e volta, no antigo Cineac Trianon ao preço de 195 cruzeiros, das 9 às 18 horas, ao mesmo tempo em que Ely Mendes convoca o seu grupo (Força Jovem) e vende passagens pelo mesmo preço. 
A caravana sai sexta feira, em ônibus, as 20 horas retornando após o jogo de domingo,na Fonte Nova, contra o Vitória.
Fonte: Jornal Tribuna da Imprensa 26 de Agosto de 1975

Força Jovem Jornal dos Sports 1975

TOV Jornal dos Sports 1975

TOV e Força Jovem Jornal Tribuna da Imprensa 1975

TOV Maracanã Arquivo de Clóvis 1975

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

QUERIDOS DO VASCO 1947: FUNDA-SE O GREMIO QUERIDOS DO VASCO

Uma agremiação de grande potencialidade vem de ser fundada nesta capital, contando desde já com 100 Vascaínos de verdade. 
A nobel Organização denomina-se Queridos do Vasco.
O grêmio é composto de 100 “Vascaínos de Verdade”, terá uma Charanga Uniformizada, para  auxiliarem o glorioso Vasco da Gama, a levantar o campeonato de 1947, invicto. Cada componente do grêmio contribuirá com uma verba especial, para no fim do campeonato, premiar os jogadores profissionais e reservas.
No dia da chegada do casal Dr Amaral Ozorio um escudo de ouro, platina e brilhantes, e a senhora Amaral Ozorio um rico estojo de perfume coty.
A Sede do grêmio será inaugurada no próximo dia 14 de Julho, com um grandioso Baile no luxuoso palacete da Rua Francisco Manoel nº 101, baile em homenagem ao Dr Cyro Aranha e Exma Senhora.
Será oferecido ao grande João de Lucca, maquinista Chefe do glorioso “Expresso da Vitória” um “expresso” em miniatura de ouro e brilhantes.
A Diretoria do grêmio Queridos do Vasco está assim organizado:
Presidente de Honra: Dr José do Amaral Ozorio
Presidente: Joaquim Gonçalves Enes
Secretário: Dr Jurandyr da silva Ramos
Secretário: Comendador Alberto Cerqueira
Diretor Social: José Valério Alves
Procurador Geral: Arlindo da Silva
Chefe da Torcida Uniformizada: Acadêmico César Peixoto Aranha
Madrinha: Mme Dr Amaral Ozorio
Rainha senhorita Isa Portela Enes
Mascote: Sérgio Luiz Azevedo Ramos
Fonte: Jornal dos Sports 24 de Junho de 1947

Queridos do Vasco Jornal dos Sports 1947

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

sábado, 13 de fevereiro de 2016

TOV E TUV 1954: VASCO TEM DUAS TORCIDAS, A ORGANIZADA E A UNIFORMIZADA

Fundada em 1942 e oficialmente em 07 de Março de 1944, a Torcida Organizada, que durante muito tempo foi a Torcida Oficial, tendo como líder João de Lucca (1944 a 1956).
João de Lucca usava um megafone, para puxar os gritos de Casaca.
Com um megafone, João de Lucca aguentaria mais tempo, poderia gritar até o jogo acabar, João de Lucca começava a comandar casacas, casacas, antes da preliminar. Era para ver se os Vascaínos estavam bons de garganta. E depois, na preliminar, também o Vasco jogava. Enquanto o Vasco jogava na preliminar, a Torcida treinava. Quando chegasse a hora do jogo principal, não haveria Vascaíno que não soubesse, de cor e salteado, o casaca, asaca, a turma é boa, é mesmo da fuzaca, Vasco! Vasco! Vasco! (Jornal O Globo 19 de Julho de 1945)
A Torcida é dividida em distritos.
O Diretor-Mor da Torcida Organizada do Vasco solicita dos Chefes distritais o comparecimento, com os seus homens amanhã as 12 horas no Campo do Madureira. Joe Louis, Chefe da Torcida Vascaína no Corpo de Fuzileiros Navais e José Soares, Chefe da Torcida Organizada do Vasco nas Laranjeiras, solicitam o comparecimento de seus comandados, domingo, as 12 horas no Campo do Madureira.(Jornal dos Sports 08 de Agosto de 1945).
João de Lucca organiza várias caravanas pra acompanhar o Vasco.
O Vasco levará no próximo domingo, a Niterói, a maior caravana de todos os tempos. A Torcida Organizada do Vasco estará em peso em Caio Martins. Ao todo sabemos a Companhia Cantareira colocará duas Barcas extraordinárias e trafegarão bondes a todo o momento entre a Ponte das Barcas e o Estádio Caio Martins. Calcula-se em mais de 15 mil, o número de Vascaínos que vão atravessar a Baia de Guanabara no próximo domingo. (Jornal dos Sports 20 de Setembro de 1945)
“A TOV costumava acompanhar os jogos das Sociais de São Januário. Apenas com a construção do Maracanã, em 1950, é que a Torcida passou a ocupar as arquibancadas.” Disse Tia Aida de Almeida (entrevista a Bernardo Buarque em 2005).
Em 1954, é criada a Torcida Uniformizada do Vasco.
De acordo com o que temos informados, essa Torcida, que não tem o apelo oficial do Clube e não se organiza somente para dar “casacas” nos dias de vitória, como acontece com determinado grupo (Torcida Organizada), constitui a mais soberba demonstração de vitalidade de uma Torcida, que vibra e sofre com o seu Clube, que acompanha o team nas boas e mas horas, que enfrenta sol e chuva, encontrando na vitória a única recompensa. (Jornal Diário da Noite 11 de Setembro de 1954)
Entre os fundadores da Torcida Uniformizada , estão Aida de Almeida, Madame Bartês (estilista de moda), Toni, os irmãos Mário e Margarida Portugal, as três irmãs Norma, Neide e Vilma, Idalina David Barbosa e suas filhas (uma delas é Hilda) e Tião (Sebastião Gonçalves Carvalho).
“A idéia surgiu dos encontros que todos mantinham aos domingos quando não havia jogos. Eles se reuniam na casa de algum deles e das conversas surgiu o primeiro nome da Torcida, que se chamava: “Torcida Uniformizada do Vasco”, posteriormente passando a se chamar “Torcida Organizada do Vasco”, a famosa “TOV”. Disse Tia Aida  (Jornal do CASACA, em Janeiro de 2005)
“No intervalo do jogo Vasco x Hibermian, pelo Torneio Octogonal do ano passado, enquanto estávamos no bar, eu, Margarida, D. Idalina, Hilda, Tião e outras pessoas tivemos a idéia de organizar um Torcida Uniformizada, com o objetivo de estimular ainda mais o nosso team. A idéia foi acolhida com entusiamo e no segundo jogo do Vasco no campeonato do Rio, em Niterói, lá estávamos em número de vinte, em grande forma”.Falou Mário Portugal (Jornal Diário da Noite 11 de Setembro de 1954)
A Uniformizada fez sua estréia oficial foi no dia 19 de Junho no Vasco x Botafogo, enquanto a Torcida Organizada ficava na Social, a Uniformizada ficava nas arquibancadas de São Januário. Tento como Sede provisória, a Rua Frei Caneca 332.
“Queremos esclarecer que a nossa Torcida não tem Chefe, mas nós constituímos uma comissão diretora, para umas determinadas providencias e decidimos que o Sr Alvaro Ramos seria o nosso patrono, como lhe prestamos pelo muito que ele tem feito.” Disse Margarida Portugal (Jornal Diário da Noite 11 de Setembro de 1954)
No jogo Vasco x Flamengo as duas Torcidas se manifestam pelos jornais.
João de Lucca, Chefe da Torcida Organizada do Vasco, fez um desafio dentro do Dragão Negro, o que perder o clássico, pagará um churrasco de cem pessoas.
Para tal, tanto a turma vascaína do bate papo, como a do Dragão, terão de depositar quinze mil cruzeiros na churrascaria. (Jornal Diário da Noite 14 de Outubro de 1954)
A Torcida Uniformizada do Vasco estará firme, logo mais, quando estarão frente os esquadrões do Flamengo e Vasco, numa partida das mais sençacionais do ano. O dinâmico patrono Álvaro Ferreira Ramos, por nosso intermédio, avisa aos componentes da seleta e numerosa Torcida que os Vascaínos ficarão locallizados a direita das Tribunas de Honra, nas arquibancadas. (Jornal Gazeta de Notícias 20 de Outubro de 1954)
Em 1956, Dulce Rosalina foi convidada a ser a Chefe da Uniformizada.
Neste mesmo ano João de Lucca teve que se afastar da direção da Organizada devido a problemas de saúde, passou o comando a Dulce Rosalina, unificando as duas Torcidas.

TOV João de Lucca Arquivo do Jornal Última Hora 1953

TUV Jornal Gazeta de Notícias 1954 



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

TUV 1954: TORCIDA UNIFORMIZADA DO VASCO MOÇAS E RAPAZES COM CAMISAS E BONÉS, MAS SEM CHARANGA

Um grupo de adeptos do grêmio de São Januário (mas adeptos fervorosos do Club e não invetivadores de todos os Presidentes), está se movimentando no sentido de formar uma Torcida Organizada. 
ideia ganhou vulto, ultimamente, e conta com o apoio (financeiro) de um ex dirigente, que é o mais entusiasta do movimento, porque também é dos Vascaínos de lei. Aqueles rapazes e moças que, no Maracanã geralmente se colocam do lado direito da Tribuna, uniformizados, com bandeiras, instrumentos de sopro, etc, se constituirão, daqui por diante numa força organizada.
Eles se apresentaram uniformizados com camisas brancas (do mesmo feitio da que usa os jogadores) e boné preto de pala branca, conduzindo bandeiras e outros dísticos, além daquele enorme painel onde está inscrita a seguinte frase: “Felicidade teu nome é Vasco”.
Domingo, aliás, os componentes da Torcida Uniformizada do Vasco que farão sua estréia oficial dia 10, homenagearam Flávio Costa, levando dois painéis com a seguinte inscrição: “Parabéns Flávio”, tendo todos cantado a canção de aniversário, a que o técnico respondeu, emocionado.
Presentemente a Torcida Uniformizada já conta com cerca de cem inscritos, mas as adesões se sucedem e todos que queiram fazer parte do bloco devem se entender com o Sr Mário Portugal ou senhorita Margarida Portugal Lourenço, a Rua Frei Caneca 333, que são os encarregados da confecção do uniforme.
Fonte: Jornal Diário da Noite 07 de Julho de 1954

TUV Jornal Diário da Noite 1954

TUV Jornal Diário da Noite 1954

TUV Jornal dos Sports 1954

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

TOV 1946: CARAVANA A GENERAL SEVERIANO

Os Vascaínos vão levar uma grande Torcida Organizada a General Severiano com a exclusiva finalidade de incentivar os cracks da Cruz de Malta no jogo contra o Botafogo.
Fonte: Jornal Diário de São Luíz 06 de Julho de 1946

TOV Jornal Diário de São Luiz 1946

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

GUERREIROS DO ALMIRANTE 2016: MÚSICA "BARRA MAIS LOUCA"

BARRA MAIS LOUCA
Chora urubu imundo
Chora pó de arroz também
Chora cachorro viado,
que nunca ganhou de ninguém
somos a barra mais louca
Do clube que varre geral
Amigo, eu sou Vascaíno
Eu sou Bacalhau
ôôôÔÔÔÔÔÔÔÔ...


sábado, 6 de fevereiro de 2016

GUERREIROS DO ALMIRANTE 2016: MÚSICA "NA BARREIRA EU VOU FESTEJAR"

NA BARREIRA EU VOU FESTEJAR
O Vasco é minha alegria
Minha loucura, é minha vida
A tua história nós vamos honrar
Pela glória vamos lutar pra sair Campeão
Nunca vão entender esse amor
Vasco da Gama, pra sempre vou te amar
Na barreira eu vou festejar
e cantar outra vez, com os loucos da saída 3.



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

GARRA CRUZMALTINA 1990: HISTÓRIA

Torcida Organizada do Vasco que fez sua estréia em 22 de Julho 1990 e acabou na década de 1990.
“Venho a esta coluna para informar aos torcedores Vascaínos que uma nova Torcida Organizada do Vasco estreou no último domingo, no jogo contra o Fluminense, a Garra Cruzmaltina. Os interessados em se tornar componentes dessa maravilhosa Torcida podem falar com Edio ou Gilson, no próximo jogo no Maracanã.
Jorge Luiz Gomes Praia de Ramos."
Fonte: Coluna Bate Bola do Jornal dos Sports 24 de Julho de 1990

Garra Cruzmaltina Jornal dos Sports 1990

Garra Cruzmaltina São Januário 1990
Garra Cruzmaltina São Januário 1991

Garra Cruzmaltina São Januário 1991

Garra Cruzmaltina São Januário 1992

Garra Cruzmaltina Maracanã 1992

Garra Cruzmaltina São Januário 1992

Garra Cruzmaltina São Januário 1992

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

TOV 1973: VASCO X FLUMINENSE O CLÁSSICO DAS TORCIDAS

Nas arquibancadas, hoje, haverá um duelo das Torcidas como em todos os grandes clássicos do futebol carioca, de um lado as hostes comandadas pela Dulce Rosalina, com todo o calor e entusiasmo da paixão Vascaína e do outro lado, a avalanche tricolor dos vários grupos que divide e irmana o Fluminense, por um paradoxo do próprio esporte.....
Honra, portanto, aos abnegados que desde Benício Ferreira Filho até os dias de hoje, ornamentam as arquibancadas do maior Estádio do Mundo com o colorido das fantasias tricolores, enquanto a Dulce Rosalina estimula os grupos da jovem Torcida Cruzmaltina e incentiva com palavras de carinho e de amor, para que os clássicos do futebol carioca sejam, cada vez mais, as grandes apoteoses que presenciamos nos domingos de sol ou nas noites frias do inverno carioca, aquecidas pelo calor das disputas e pelo espocar dos fogos que estrondam no Maracanã.
Fonte: Jornal A Luta Democrática 25 de Julho de 1973

TOV Jornal A Luta Democrática 1973

TOV Maracanã 1973